PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Meu time

Fluminense começa bem, mas defesa compromete jogo e ataque não consegue reverter o cenário

Em mais uma partida com finalizações desperdiçadas, falta de comunicação no ataque preocupa; Falhas de Manoel e Egídio marcam a derrota no Allianz Parque

25 jul 2021 07h04
| atualizado às 07h04
ver comentários
Publicidade

No último sábado, o Fluminense sofreu a quarta derrota do Brasileirão, em jogo contra o Palmeiras no Allianz Parque. Apesar de fazer início consistente, a equipe perdeu duas chances claras de gols e cravou a derrota com gol contra de Manoel no segundo tempo.

Com a derrota, Fluminense estaciona no meio da tabela do Brasileirão (Cesar Greco / Palmeiras)
Com a derrota, Fluminense estaciona no meio da tabela do Brasileirão (Cesar Greco / Palmeiras)
Foto: Lance!

Na primeira etapa da partida, o Tricolor teve o melhor desempenho em campo. Os 45 minutos iniciais foram marcados pelas chances criadas pelo time, mas desperdiçadas por Gabriel Teixeira e Nene, respectivamente. Mesmo não conseguindo aproveitar as oportunidades, o Flu oscilou pouco e fez boa movimentação no meio-campo com Yago Felipe e Martinelli, embora tenha deixado espaços para interceptações do Palmeiras em alguns momentos.

Defensivamente, a equipe de Roger Machado foi pouco acionada no primeiro tempo, mas se mostrou insuficiente quando necessária. Sem Luccas Claro, que vinha sendo a referência no setor, Manoel ficou sobrecarregado com as falhas de Samuel Xavier. David Braz também não foi participativo no início e fez com que o zagueiro ficasse praticamente sozinho na função.

No segundo tempo, o Fluminense continuou controlando o meio-campo, mas foi responsável pela própria derrota. Em contra-ataque pelo lado esquerdo, o Palmeiras avançou e, após falha de Egídio, conseguiu fazer um cruzamento preciso para dentro da área. Manoel não dominou a bola e estufou a rede de Marcos Felipe, marcando para o mandante.

A partir deste momento, o time passou a não conseguir criar no setor ofensivo e errou nas transições para o ataque. Sem levar perigo, o Flu fez jogo reativo durante a maior parte da segunda etapa. O técnico Roger Machado fez reposições, na tentativa de voltar à agressividade de início, mas não teve sucesso. A saída de Yago Felipe em particular piorou o desempenho da equipe no final do confronto.

Com finalizações imprecisas, erros na linha de passes e na marcação, o Tricolor não conseguiu reverter o resultado. Ainda que a ausência de jogadores importantes tenha feito a diferença, os erros apresentados na partida revelam dificuldades antigas do Fluminense, especialmente pelas laterais e na comunicação dos atacantes. Às vésperas das eliminatórias da Copa do Brasil e Libertadores, Roger Machado não terá muito tempo para correções.

Lance!
Publicidade
Publicidade