PUBLICIDADE
Logo do Fluminense

Fluminense

Favoritar Time

Cavani x Cano: final da Libertadores marca encontro de artilheiros em fases distintas

3 nov 2023 - 07h16
Compartilhar
Exibir comentários

Na tarde deste sábado, Fluminense e Boca Juniors disputam o sonhado título da Copa Libertadores, a partir das 17 horas (de Brasília), no Maracanã. O embate marca o encontro entre dois artilheiros experientes, mas que vivem momentos distintos.

O Tricolor Carioca conta com o artilheiro da competição: Germán Cano. Em 11 jogos no torneio continental, o argentino de 35 anos soma 12 gols marcados, além de duas assistências distribuídas. Assim, possui uma média superior a uma contribuição para gol por jogo na Liberta.

Inclusive, caso marque na decisão, o camisa 14 se tornaria o artilheiro com mais bolas na rede em uma única edição do campeonato sul-americano desde o brasileiro Luizão, que marcou 14 vezes em 2000, pelo Corinthians.

Levando em consideração toda a temporada, Cano anotou 36 tentos e deu três passes para gol em 54 compromissos pelo clube das Laranjeiras. Os números representam um índice de 0,72 participação a gol por jogo.

Cavani não 'engrenou' como esperado no Boca

Por sua vez, o Boca trouxe um reforço de peso no meio do ano. Em julho, Edinson Cavani aterrissou em La Bombonera com contrato até o fim de 2024. No entanto, em 13 partidas pelo time xeneize, o uruguaio de 36 anos marcou apenas três vezes (média de 0,23 gol por jogo) e não deu assistências.

Dos tentos anotados pelo centroavante, um tem grande importância na campanha argentina. O único gol do camisa 10 na Libertadores foi marcado na volta da semifinal contra o Palmeiras, em jogo que terminou em empate por 1 a 1 e foi para a decisão por pênaltis. Primeiro a cobrar, porém, Cavani desperdiçou a sua penalidade, que foi defendida por Weverton.

As outras duas vezes que o uruguaio balançou as redes pelo Boca foram pela Copa da Liga Argentina, contra o Platense, e pela Copa Argentina, diante do Talleres.

Cano marcou seis vezes nos últimos quatro jogos de Libertadores

Do outro lado, vale ressaltar que Cano também teve papel fundamental na caminhada do Fluminense até a decisão da Libertadores. O jogador marcou seis vezes nos últimos quatro compromissos da equipe e deu duas assistências, sendo o principal nome tricolor nas quartas e semifinal.

Apesar da alta idade, os atacantes têm carreiras distintas: um teve passagem consolidada na Europa, sendo um dos principais nome da posição na geração, enquanto o outro foi 'descoberto' pelos brasileiros em 2020 após atuar em diferentes clubes do cenário sul-americano. Entretanto, o que ambos compartilham é do objetivo de conquistar a "Glória Eterna" pela primeira vez.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Publicidade