3 eventos ao vivo

Esportes Aquáticos

Brasileiro do polo aquático é acusado de abuso sexual

Jonne Roriz / Exemplus/COB/Divulgação
24 jul 2015
14h24
atualizado às 22h53
  • separator
  • 0
  • comentários

A polícia de Toronto informou formalmente nesta sexta-feira que o brasileiro Thye Mattos Ventura Bezerra, membro da Seleção Brasileira de polo aquático, 27 anos, foi acusado de abuso sexual no Canadá, enquanto ele estava na cidade para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de 2015. A vítima tem 22 anos e, de acordo com as autoridades canadenses, sofreu o crime enquanto dormia no dia 16 de julho, mesma data que o atleta deixou o país.

Em entrevista coletiva, a investigadora Joanna Beaven-Desjardins informou que o Canadá já entrou em contato com autoridades brasileiras para pedir a extradição de Thye, com a finalidade dele responder às acusações colocadas. Segundo a policial, o Canadá não tem um acordo com o Brasil para emitir um mandado de prisão e posterior extradição, mas as forças de segurança canadenses estarão atentas a eventuais viagens feitas pelo atleta a outros países e, caso haja tal tipo de relação com o país de destino, ele poderá ser detido fora do Brasil.

Segundo apuração do Terra, as Seleções masculina e feminina de polo deixaram a concentração do Time Brasil para festejar a conquista das medalhas de prata e bronze, respectivamente. De acordo com três jogadores do time masculino consultados nesta sexta-feira pela reportagem, todos voltaram de táxi para a concentração após a comemoração.

O relato feito por Beaven-Desjardins informou que Thye estava acompanhado de outro atleta da delegação brasileira do polo - de identidade não revelada - quando entrou com autorização na residência dela, onde também estava uma amiga da vítima. "A casa não foi invadida, ele já estava lá dentro", disse. O atleta teria permanecido no local e a vítima resolveu ir para o quarto deitar. Thye, então, a teria abusado quando ela já estava dormindo, durante a madrugada do dia 16. Na sequência, ele teria fugido junto ao amigo. A delegação brasileira deixaria o Canadá mais tarde no mesmo dia, antes do brasileiro ser identificado e buscado pela polícia, que não sabe o paradeiro atual dele. 

De acordo com algumas informações, Thye está junto com a Seleção Brasileira em Kazan, na Rússia, onde a equipe verde e amarela se prepara para participar do Mundial de Esportes Aquáticos. A primeira partida do time no torneio está marcada para o dia 27, contra a China. Assim como o Brasil, a Rússia não é um país com acordo bilateral de extradição de pessoas com o Canadá.

A polícia canadense não revelou como foi o processo de identificação de Thye, não confirmou se ele usava uniforme da delegação ou credencial ao cometer o suposto crime, mas disse ter certeza de que foi ele quem cometeu o crime. Beaven-Desjardins disse não poder comentar se a vítima fez exames de corpo de delito para confirmar o abuso, nem deu detalhes sobre a mesma para preservar sua identidade, declarando apenas que não se tratava de uma voluntária e nem uma atleta dos Jogos Pan-Americanos.

Pela lei do Canadá, esse tipo de crime pode resultar em até 15 anos de prisão, variando conforme a gravidade. Não foi informado o tempo mínimo de pena, que ficará a cargo da Justiça local para decidir. Segundo as leis canadenses, abuso sexual inclui qualquer forma de contato não consentido entre as partes. Entram nesta lista beijos, abraços forçados, sexo oral ou penetração.

Apesar de não dar detalhes da investigação, a polícia deu como certa a responsabilidade de Thye, afirmando inclusive que "ele não é um suspeito a essa altura" e que podem haver outras vítimas, justificativa para sua imagem ser divulgada publicamente. "Ele ficou duas semanas em Toronto. É por isso que a foto dele foi espalhada. Não sabemos o que ele pode ter feito na cidade", comentou Desjardins.

O Terra consultou a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) sobre o assunto, mas foi informado que os dirigentes da entidade estão na Rússia (onde acontecerá o Mundial de Natação) e, por causa do fuso horário, não vão se manifestar neste momento.

No fim desta tarde, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) soltou uma nota comentando sobre o caso:

"O Comitê Olímpico do Brasil condena qualquer comportamento que envolva violência ou abuso. Recebemos a lamentável notícia através da imprensa local e desde então nosso desejo é que os fatos sejam completamente esclarecidos pela polícia de Toronto e pela CBDA, responsável pela equipe nacional de polo aquático, que está em Kazan na Rússia para o campeonato mundial da modalidade.

O COB exige de seus atletas um comportamento impecável, lembrando-lhes sempre que, quando viajam ao exterior, representam o seu país. Estamos à disposição das autoridades canadenses para colaborar na apuração do caso, dentro dos princípios que regem a acusação, que exige provas e ampla defesa. Continuaremos, mesmo depois do encerramento dos Jogos em Toronto, a trabalhar neste tema com a missão diplomática brasileira no Canadá."

Ranking Geral País Ouro Prata Bronze TOTAL
1 Estados Unidos 92 73 74 239
2 Canadá 72 63 60 195
3 Brasil 35 34 55 124
4 Cuba 31 23 33 87
5 Colômbia 26 13 30 69
Veja o quadro completo aqui
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade