0

Calor ajuda "supremacia" da América sobre Europa, diz Löw

20 jun 2014
20h58
  • separator
  • 0
  • comentários

Com "uma rodada e meia" decorrida da Copa do Mundo de 2014, o domínio das seleções do continente americano é evidente. Equipes das Américas do Sul, Central e do Norte tiveram desempenho contra outros continentes bem superior ao dos europeus, projetando seleções que impressionaram, como Chile e Colômbia, além da maior surpresa do torneio, a Costa Rica. Para o técnico da Alemanha, Joachim Löw, um fator vem sendo determinante: o calor.

<p>Para o alemão Joachim Löw, times da América estão mais acostumados ao clima das partidas no Brasil</p>
Para o alemão Joachim Löw, times da América estão mais acostumados ao clima das partidas no Brasil
Foto: AFP

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

"Os jogadores da América mostraram sua força, a tática de algumas equipes foi boa na primeira rodada. Mostraram que realmente estão aqui para mostrar presença e estão levando vantagem na comparação com a Europa. Chile, Colômbia, Estados Unidos, Costa Rica... todos ganharam. Eles sabem jogar nessas condições, com temperatura alta, no meio da tarde, todo esse calor", opinou o alemão.

Até o momento, seleções americanas fizeram 12 confrontos contra times de outros continentes, com 10 vitórias e apenas duas derrotas – os tropeços foram justamente das duas equipes mais fracas, Equador e Honduras. Já os europeus duelaram 13 vezes contra outros continentes e apresentaram retrospecto bem pior: cinco vitórias, dois empates e seis derrotas.

Desempenho contra outros continentes
  América Europa
Jogos 12 13
Vitórias 10 5
Empates 0 2
Derrotas 2 6
Aproveitamento 83,3% 43,5%
Confronto direto entre América e Europa
América: 6 vitórias Brasil 3 x 1 Croácia
Chile 2 x 0 Espanha
Colômbia 3 x 0 Grécia
Costa Rica 1 x 0 Itália
Uruguai 2 x 1 Inglaterra
Argentina 2 x 1 Bósnia
Europa: 2 vitórias França 3 x 0 Honduras
Suíça 2 x 1 Equador

No confronto direto entre Europa e América, a vantagem também é clara: em oito partidas entre times dos dois continentes, foram seis vitórias para o lado de cá do Oceano Atlântico, contra apenas duas derrotas. Novamente, Equador e Honduras foram os "culpados", perdendo para Suíça e França, respectivamente. Para o volante alemão Sami Khedira, porém, o clima não é um fator tão preponderante.

"As condições são as mesmas para todos. Procuramos nos acostumar não é fácil, mas no primeiro jogo também não foi fácil (vitória por 4 a 0 sobre Portugal, em Salvador, às 13h). Foi na hora do almoço, um calor forte. Por isso procuramos nos regenerar, dormir bastante, beber muita água e estar bem preparados", afirmou o meio-campista, discordando do chefe.

O próximo duelo que opõe diretamente europeus e americanos acontece neste domingo, às 19h, na Arena Amazônia em Manaus. Os Estados Unidos, que venceram na estreia contra Gana, vão enfrentar os portugueses, que buscarão a recuperação da surra levada da Alemanha. Cristiano Ronaldo estará sedento por seu primeiro gol na Copa – se forem se basear pela estatística, porém, Clint Dempsey e seus companheiros já poderiam começar a sorrir.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade