PUBLICIDADE

Messi

Argentina amassa Chile, é salva por Lautaro Martinez e avança para as quartas da Copa América

Após festival de chances perdidas, atacante faz único gol do jogo; chilenos ainda têm chances de classificação

26 jun 2024 - 00h14
(atualizado às 00h16)
Compartilhar
Exibir comentários

A Argentina venceu a segunda na Copa América ao bater o Chile por 1 a 0 no MetLife Stadium, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, em partida válida pela segunda rodada da fase de grupos do torneio. Com o resultado, os argentinos confirmam a classificação para as quartas de final. Já os chilenos jogarão a vida contra o Canadá.

A partida foi no mesmo palco que sediou a final da edição centenária do torneio em 2016, vencida pelo Chile, contra a Argentina. A grama do MetLife Stadium reproduziu o que se viu em outros estádios da Copa América, com quiques irregulares. O gramado natural substituiu o artificial há duas semanas e recebeu areia para nivelá-lo em alguns pontos.

A partida iniciou truncada, com uma sequência de faltas no meio de campo. Com o passar do tempo, os argentinos empurraram os chilenos para o campo defensivo, mas sem conseguir chegar ao último terço. Na busca do Chile pelo ataque, lançamentos não tinham eficiência e faltava capricho nos passes. Até mesmo os mais próximos saíam errados.

Diferente do que se viu contra o Canadá, quando Messi frequentava a zona de ataque da Argentina, o craque que completou 37 anos na segunda-feira, 24, recuou até o meio de campo, junto de Mac Allister para tentar abir espaços. A primeira chance clara do jogo começou assim. O camisa 10 encontrou Nico González, que cruzou para Julian Álvarez. O atacante do Manchester City finalizou desmarcado e de primeira em cima de Cláudio Bravo.

Messi conseguiu posicionar-se mais a frente. Por volta dos 35 minutos, isso se refletiu em uma finalização do craque, raspando a trave chilena. Naquele momento, foi a sétima finalização argentina, contra nenhuma do Chile. O placar zerado na primeira etapa foi lucro para o time de Ricardo Gareca.

A Argentina voltou do intervalo no mesmo ritmo. Bravo foi obrigado a agir duas vezes com menos de cinco minutos. O Chile, por sua vez, continuou com fraquezas técnicas e precisou contar com a sorte. Aos 11 minutos, faltou a Mac Allister calçar uma chuteira poucos números maiores para abrir o placar após falta cobrada por Messi.

O melhor jogador do mundo continuou a distribuir passes para os companheiros. Aos 15 minutos, ele deixou Nico González livre para finalizar e batizar o travessão de Bravo. A Argentina ficava cada vez mais confortável em campo. As mudanças de Lionel Scaloni, como a entrada de Lo Cielso, deram mais liberdade para Messi ficar mais próximo do gol.

No lado chileno, o time visivelmente cansou e passou apenas a segurar o empate. O veterano Alexis Sánchez já não consegue entregar um futebol que "resolva" para o Chile, aos 35 anos. Vargas também se mostrou insuficiente. A nova geração que deve sucedê-los não tem o mesmo nível técnico em relação ao auge dos campeões de 2015 e 2016.

A primeira finalização chilena foi quase aos 30 minutos do segundo tempo, com Echeverria. O lance animou os jogadores de vermelho. O camisa 18 do Chile voltou a finalizar, para nova defesa de Dibu. O arqueiro argentino precisou sujar o uniforme somente na metade final do segundo tempo.

Quando tudo parecia praticamente decidido, a Argentina continuou a insistir. Messi cobrou o décimo escanteio argentino no jogo. Após um bate-rebate na área, a bola sobrou para Lautaro Martínez empurrar para as redes e abrir finalmente o placar. Nos acréscimos, o camisa 22 pôde ampliar após Di Maria deixá-lo cara a cara com Bravo. O goleiro defendeu, mas muito pela displicência do centro-avante, que tentou uma cavadinha. Os argentinos terminaram a partida com 22 finalizações, contra três do Chile.

Na rodada final do Grupo A, a Argentina joga contra o Peru no Sun Life Stadium, no sábado, 29, às 21h (horário de Brasília). Ao mesmo tempo, o Chile tenta a vaga encarando o Canadá, no Orlando City Stadium. Todas as equipes ainda têm chances de classificação para as quartas de final.

Canadá vence Peru e entra na zona de classificação

Mais cedo, Peru e Canadá duelaram no Children's Mercy Park, em Kansas City. Melhor para os norte-americanos, que venceram por 1 a 0 e subiram para a segunda posição do Grupo A. O jogo foi de baixo nível técnico, mas garantiu um golaço do canadense Jonathan David para quem assistia à partida.

O que chamou mais atenção foi a substituição de um dos assistente de arbitragem responsável pela partida. O bandeirinha guatemalteco Humberto Panjoj desmaiou nos últimos minutos da primeira etapa e foi socorrido pelo goleiro canadense Maxime Crépeau. O auxiliar chegou a cair desacordado no campo, mas foi retirado já consciente. Ainda não se sabe o motivo do mal-estar, mas o calor é uma possibilidade, já que os termômetros marcavam 37°C durante o jogo.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade