1 evento ao vivo

Jucilei explica processo contra o Corinthians: "Não é ingratidão, é por trabalhar e não receber"

25 jun 2020
18h17
atualizado às 18h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O volante Jucilei, que vestiu a camisa do Corinthians entre 2009 e 2011, falou, em entrevista ao jornalista Alexandre Praetzel, sobre o processo contra o Alvinegro que moveu em 2014 na Justiça. O jogador de 32 anos venceu a ação em última instância por conta de uma falta de pagamento do Timão.

"Quando chegou a proposta do Anzhi, da Rússia, eu tinha um salário para receber e o Corinthians queria que eu abrisse mão daquilo que eu já tinha trabalhado. Se é meu salário, eu não posso abrir mão do que eu trabalhei. No primeiro ano de contrato, meu salário era de R$ 50 mil e depois passou para R$ 110 mil. Tinha salário, 13º e Fundo de Garantia a receber. Se não me engano, tinha uns R$ 200 mil para receber e o Corinthians não me pagou. Como não pagou, botei na justiça", explicou.

Jucilei defendeu o Corinthians entre 2009 e 2011

Jucilei foi vendido para o Anzhi em fevereiro de 2011. Pelo Corinthians, o volante fez 103 jogos, marcou seis gols e foi convocado pelo técnico Mano Menezes para a Seleção Brasileira. O jogador também disse que não sabe os valores que deve receber do Timão, mas garante que não passa perto do que está sendo especulado.

"Mas esses valores de R$ 14 milhões e R$ 15 milhões que estão falando, não são reais. Não sei os valores corretos, mas processei sim o Corinthians e a gente ganhou a causa, mas não sei o valor real. Só sei que ganhei aquilo que eu trabalhei. Talvez tenha um pouquinho amais do que aquilo que deviam, mas pelo fato dos juros, que são altos. Só botei por não não terem me pagado, não é ingratidão, é pelo fato de trabalhar e não receber. Acredito que qualquer um faria isso", afirmou.

Por fim, Jucilei garantiu que o Corinthians não o procurou para quitar ou negociar a dívida.

"Não procurou, só falou para abrir mão desse dinheiro. Nessa época, eu fui vendido pelo Corinthians por 10 milhões de euros. Na cotação, não estava esse valor que está hoje, mas sei que deu um dinheiro muito bom", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade