PUBLICIDADE

S.O.S. Deu a louca no técnico? Bruno Lage coloca Tiquinho no banco

Português começa a partida com o melhor jogador do Brasileiro na reserva; Tchê Tchê, o pulmão do time, é improvisado na lateral

2 out 2023 - 23h00
(atualizado em 3/10/2023 às 01h56)
Compartilhar
Exibir comentários
Tiquinho Soares marcou pela primeira vez depois de lesão no joelho no jogo contra o Cruzeiro no turno
Tiquinho Soares marcou pela primeira vez depois de lesão no joelho no jogo contra o Cruzeiro no turno
Foto: Vítor Silva/Botafogo / Jogada10

Foi inacreditável. Qual a razão para o treinador Bruno Lage ter colocado o artilheiro do Campeonato Brasileiro, Tiquinho Soares, no banco de reservas na partida de segunda-feira à noite no tapetinho do Estádio Nilton Santos? O português deu uma de Professor Pardal, ou seja, fez invenções que não deram certo. Colocou ainda Tchê Tchê, o pulmão do meio-campo alvinegro, na lateral direita. Claro que o primeiro tempo não seria nada glorioso para o Botafogo. O zagueiro Lucas Halter fez 1 a 0 para o Goiás. Inaceitável.

Bruno Lage viu que o equívoco foi grande e colocou – no intervalo – Tiquinho, ao lado de Diego Costa e dos pontas Victor Sá e Luís Henrique, ou seja, o treinador europeu ‘dinizou’, pois veio com um esquadrão suicida também, com Marlon Freitas como único marcador. O super ofensivo Eduardo se transformou em um segundo volante, algo que não respeita as características do jogador, que é bom de passes e de gols. O camisa 33 é um ótimo meio-campo que pisa na área, e estava longe da mesma. Eduardo não se identifica com a posição e cansou com a função que é de muita entrega física, mas continuou em campo.

No segundo tempo, em apenas seis minutos, Tiquinho provou que Bruno Lage errou feio na escalação. Contando com o desvio quase imperceptível do bom zagueiro do Goiás e da seleção pan-americana Lucas Halter, o camisa 9 alvinegro chutou de fora da área e a bola morreu no ângulo esquerdo do goleiro Tadeu. Um golaço. E aí, Lage? De quem foi a ideia do artilheiro no banco?

Bruno Lage quer colocar o toque pessoal na equipe, mas está se complicando no Botafogo
Bruno Lage quer colocar o toque pessoal na equipe, mas está se complicando no Botafogo
Foto: Futebol BR

Tiquinho tem 14 gols no Campeonato Brasileiro. Além disso, é excelente nos passes e na leitura de jogo.

O camisa 9 é o jogador mais importante da equipe e não pode ficar de fora em nenhuma circunstância.

Durante uns 15 minutos, o Botafogo amassou o adversário. O time carioca precisava vencer, pois aumentaria a diferença para o vice-líder, o surpreendente Bragantino do técnico Caixinha. No entanto, o ritmo do Botafogo caiu muito de novo. 

O técnico ontinuou teimando em deixar Tchê Tchê na lateral, mas, aos 37 minutos da etapa final, o volante foi um desobediente civil. ‘Duplo Tchê’ entrou pelo meio e chutou de esquerda. Acertou o travessão.

O Botafogo não conseguiu virar. O placar final foi 1 a 1 mesmo. A torcida protestou contra o treinador Bruno Lage. Foram muitas vaias para ele.

A falta de liderança de Lage pode complicar muito o alvinegro carioca. O técnico tem apenas 42% de aproveitamento. São quatro vitórias em 15 jogos. Será que o título brasileiro vai escapar?

O Botafogo é líder com 52 pontos. O Bragantino tem 45. Grêmio e Palmeiras, 44. Mesmo bem na frente, o Bota não pode dormir no ponto. Nos últimos cinco jogos, o Fogão perdeu quatro vezes seguidas, três no Brasileiro e uma na Sul-Americana, e tem esse empate com o Esmeraldino.

O Goiás saiu do Z-4, com 27 pontos. Empurrou o Vasco para essa incômoda 17ª colocação, com 26.

Bruno Lage parece não ter moral com o elenco desde a 'bela' ideia de colocar o cargo à disposição depois da primeira derrota (para o rival Flamengo) no tapetinho do Estádio Nilton Santos. Algo inexplicável. Para o bem do Botafogo, o treinador deveria sair. O trabalho é ruim. Lage inventa muito em uma equipe já pronta. 

ABRAÇOS BOLEIROS. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade