PUBLICIDADE

Protagonista de título, Endrick chegará à Europa maior que Vini Jr. e Rodrygo

Com a bagagem repleta de conquistas, artilheiro palmeirense alcança o que faltou aos craques do Real Madrid durante iniciação no Brasil

6 dez 2023 - 23h32
Compartilhar
Exibir comentários
Endrick deixou sua marca em jogo do título do Palmeiras
Endrick deixou sua marca em jogo do título do Palmeiras
Foto: Rodney Costa/Zimel Press/Gazeta Press

Endrick já tem muita história para contar. Aos 17 anos, ele se tornou a grande estrela do dodecampeonato do Palmeiras. Termina a competição como artilheiro do time e supera o feito de Neymar como o mais jovem a marcar mais de 10 gols no Brasileirão, incluindo o que abriu o placar contra o Cruzeiro nesta quarta-feira, no empate que assegurou o bi consecutivo.

A jovem cria palmeirense foi promovida ao time principal aos 16 anos e, em pouco tempo, já soma dois títulos nacionais e um estadual em seu currículo, previamente recheado de conquistas na base. Como todo craque precoce do futebol brasileiro, chamou a atenção do Real Madrid, que o comprou por mais de 400 milhões de reais no fim do ano passado.

No início desta temporada, a expectativa era que Endrick se firmasse de imediato como titular da equipe de Abel Ferreira, mas o treinador preferiu respeitar as etapas racionais de formação e manteve o atacante como reserva – muitas vezes nem utilizado – na maioria das partidas. Até que o campo e o talento falaram mais alto.

Diante do Boca Juniors, no jogo de volta da Libertadores, Endrick foi acionado no intervalo e mostrou que a titularidade era questão de ordem, não mais de tempo. Desde então, o garoto garantiu vitórias com gols decisivos no Brasileiro, a exemplo dos que anotou contra o Athletico, Internacional e, sobretudo, Botafogo, na virada épica que separou os meninos dos homens.

Quando o torcedor palmeirense lembrar da conquista de 2023, a primeira imagem que virá à cabeça provavelmente será a do camisa 9 marcando duas vezes e inflamando os companheiros, como se fosse o único que acreditasse na remontada após o Palmeiras virar o primeiro tempo perdendo por 3 a 0.

Além de ter um jogo para chamar de seu, Endrick encerra a temporada como protagonista de um título, algo que nem Vinicius Junior nem Rodrygo conseguiram antes de sair do Brasil. Ambos também foram comprados pelo Real Madrid antes de completar 18 anos, mas não brilharam pelos clubes que o revelaram na mesma proporção do craque alviverde.

Enquanto Rodrygo se despediu do Santos na metade da campanha do vice-campeonato brasileiro, em 2019, com 17 gols em 80 jogos pelo time principal, Vini Jr. rumou para Madri um ano antes do espetacular Flamengo de Jorge Jesus. O máximo que beliscou foi um vice da Sul-Americana, em 2017, ainda como reserva do time rubro-negro que acabou derrotado pelo Independiente, no Maracanã.

Fora a titularidade no Palmeiras e o cartel de títulos, Endrick superou Vini e Rodrygo no quesito precocidade na seleção ao ser convocado por Fernando Diniz para a equipe principal. Por tudo isso, ao se despedir do Palmeiras no meio de 2024, ele chegará à Europa maior que as atuais estrelas do Real Madrid chegaram com a mesma idade.

Não há dúvida de que, assim como os futuros colegas de clube, hoje em estágio mais avançado na carreira, o prodígio alviverde vai precisar se provar como eles se provaram em Madri. Porém, independentemente do que aconteça nos próximos meses, Endrick sairá do Palmeiras marcado na história por ter levantado taças em tão pouco tempo, e o protagonismo extemporâneo é um belo sinal de que tem tudo para seguir engrossando a já farta galeria pessoal de títulos ao lado de Vini Jr. e Rodrygo.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade