PUBLICIDADE

Leila Pereira marca três golaços em uma só tacada

Anúncio de renovação com Abel Ferreira em evento restrito a mulheres fortalece imagem da presidente do Palmeiras

16 jan 2024 - 16h20
Compartilhar
Exibir comentários
Presidente do Palmeiras anunciou renovação com Abel Ferreira diante de jornalistas mulheres
Presidente do Palmeiras anunciou renovação com Abel Ferreira diante de jornalistas mulheres
Foto: Cesar Greco/SEP

A renovação de contrato do técnico Abel Ferreira até o fim de 2025 já seria por si só um grande acontecimento. Mas a presidente Leila Pereira resolveu transformar o anúncio em uma ocasião duplamente especial. Convidou somente jornalistas mulheres para a coletiva de imprensa, o que representa muita coisa em um meio masculinizado como o do futebol.

“Ouvi perguntas de homens: ‘Por que, só mulheres?’. O que eu digo para eles: não sejam histéricos. Quero que eles sintam o que nós [mulheres] sentimos desde que nascemos”, explicou Leila ao justificar a exclusividade feminina no evento, citando seu próprio exemplo como única mulher presidente de um grande clube na América do Sul.

De fato, mesmo com avanços recentes em relação à representatividade, mulheres ainda são minoria não só na gestão, como também na cobertura esportiva. Ao convocar uma entrevista sem homens, Leila passa uma mensagem potente sobre igualdade de gênero e a necessidade de maior diversidade às chefias de jornalismo, algumas delas constrangidas por não ter uma mulher sequer disponível para a cobertura.

É evidente que, por sua influência e poder, Leila pode fazer mais pela causa. Como assumir, por exemplo, o compromisso de contratar mais mulheres para cargos de gestão em suas empresas e no Palmeiras. De qualquer forma, isso não tira o enorme mérito da ação que valorizou as mulheres no anúncio de renovação de Abel Ferreira.

Além disso, a presidente palmeirense ainda trouxe outra novidade importante nesta terça-feira: a partir de agora, o Palmeiras, que não participou da primeira edição da Copinha feminina no ano passado por não ter categorias de base para mulheres, passará a contar com um time sub-20. Trata-se de um passo fundamental para consolidar o investimento recente no departamento feminino, que vem dando frutos e negocia para fechar o maior patrocínio sul-americano da modalidade.

Leila tem suas falhas e contradições. Segue se esquivando sobre o conflito de interesses por ser, ao mesmo tempo, patrocinadora e presidente. Segue com uma visão estritamente mercantilista do futebol, sobretudo ao negar que sua gestão tem acirrado a elitização nas arquibancadas Allianz Parque e dizer que o torcedor que não tem dinheiro para comprar ingressos dos jogos do time principal deve se contentar em assistir às equipes da base.

No entanto, ao menos dessa vez, a dirigente marcou três golaços em uma só tacada: renovou com Abel, criou um time de base feminino e deu aula sobre igualdade de gênero. Depois de uma temporada em que foi bastante cobrada pela torcida alviverde, Leila começa o ano com a imagem fortalecida ao potencializar notícias positivas em torno de sua liderança.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade