0
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Seleção vai fazer primeiro jogo sem público de sua história

Partida contra a Bolívia, em outubro, marcará o início das eliminatórias sul-americanas para o Mundial do Catar

2 set 2020
12h00
atualizado às 13h49
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Desde seu primeiro jogo, em julho de 1914, contra o time inglês Exeter City, até os dias atuais, a Seleção brasileira jamais se apresentou em um estádio sem público. Isso, porém, está perto de se concretizar. A partida marcada para 9 de outubro, contra a Bolívia, pelas eliminatórias do Mundial de 2022, será disputada na Arena Corinthians, a princípio sem a presença da torcida, em razão da pandemia da covid-19.

Isso pelo menos é o que está valendo até agora, de acordo com decisão vigente das autoridades de São Paulo, sem perspectiva de mudança a curto prazo.

Seleção brasileira, do técnico Tite, vai jogar sem público em outubro (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Seleção brasileira, do técnico Tite, vai jogar sem público em outubro (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Foto: Gazeta Esportiva

No amistoso de 106 anos atrás, em que o Brasil derrotou a equipe da Terceira Divisão inglesa por 2 a 0, o público lotou o Estádio das Laranjeiras, no Rio. Muitos assistiram ao jogo de pé. A partir de então, o fato se repetiu centenas de vezes, tanto em território nacional quanto no exterior.

O auge dessa relação da torcida com a Seleção se deu na final do Mundial de 1950, no Maracanã, quando provavelmente mais de 200 mil pessoas assistiram à derrota da equipe para os uruguaios por 2 a 1. Não se tem o número exato de quem esteve presente naquela partida. O que se sabe é que houve total descontrole do acesso do público ao estádio, com muita gente entrando sem ingresso.

Oficialmente, porém, o jogo Brasil 1 x 0 Paraguai, em agosto de 1969, marcou o recorde de pagantes no futebol mundial: 183.341. Essa gente toda se espremeu nas arquibancadas do Maracanã para ver o gol de Pelé e a confirmação da vaga da Seleção na Copa de 1970, no México.

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade