PUBLICIDADE
AO VIVO
Paris é Delas: Atletas falam sobre longevidade e vaidade no esporte
Logo do Seleção Brasileira

Seleção Brasileira

Favoritar Time

Roberto Assaf: Brasil não ganhou. Mas também não perdeu

Colunista do J10 analisa a performance do Brasil no 1 a 1 com os Estados Unidos, último amistoso antes da Copa América

13 jun 2024 - 17h48
(atualizado às 21h21)
Compartilhar
Exibir comentários

É difícil estabelecer conclusão em jogo amistoso. Afinal, não se pode calcular exatamente o nível de comprometimento dos atletas, notadamente na véspera de uma competição oficial, como a Copa América. Assim, a igualdade entre Brasil e EUA, 1 a 1, o primeiro da história entre as seleções, foi aceitável, dadas as circunstâncias. Mas vale lembrar que o time local apanhou de 5 a 1 da Colômbia no sábado passado…

Brasil e EUA fizeram um primeiro tempo equilibrado. Intenso até meia hora, com chances iguais para ambos. O curioso é notar que as seleções teoricamente mais fracas já não mostram receio em tomar a iniciativa diante da seleção penta mundial, como fizeram os donos da casa. Ameaçou o adversário desde que a bola começou a rolar.

Em outros tempos, adotaria invariavelmente uma estratégia defensiva. Mas agora, mesmo tomando o primeiro gol - de Rodrygo logo aos 16 minutos - não abriu mão de atacar. Tanto que alcançou o empate aos 25, quando Pulisic e Alisson mostraram do que são capazes. O norte-americano - referência óbvia do time - acertou o canto direito do goleiro, que cumpriu a sina, falhando mais uma vez.

Brasil melhor no segundo tempo

O Brasil voltou melhor na etapa derradeira, mantendo os EUA atrás, e de tal forma que a equipe local não conseguia ir à frente. Aos cinco minutos, o fato mais exótico da partida: Chris Richards derrubou Rodrygo, que invadiria a área sem marcação, e o árbitro Said Martinez - que exibira amarelo para o zagueiro - foi ao VAR. Quando o planeta deu a expulsão por consumada, o cidadão de Honduras assinalou falta do brasileiro…

Aos 20, os treinadores fizeram várias mudanças. E logo em seguida o time de Dorival Júnior quase sofre gol, em lance interessant. Afinal, dessa vez Pulisic desperdiçou grande oportunidade, graças à grande defesa de Alisson. A impressão foi a de que o momento despertou os hóspedes, que ameaçaram a ter a bola. Mas logo voltaram a privilegiar a defesa, povoando a intermediária, apostando em contra-ataques. Aos 36, Aaronson quase vira o placar. No fim, os norte-americanos concluíram que o empate não seria ruim. E passaram a aguardar o encerramento, que ocorreu aos 97. Já vimos coisa bem pior.

Foto: Rafael Ribeiro/CBF - Legenda: Vini chuta e Turner salva. Brasil e EUA ficam no 1 a 1  - / Jogada10

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

 
Jogada10
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade