1 evento ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Júlio César chora antes de pênaltis e se redime de 2010

Goleiro pegou dois pênaltis, fez uma defesa à queima-roupa no final do segundo tempo e foi eleito o melhor jogador em campo.

28 jun 2014
16h04
atualizado em 10/12/2014 às 12h36
  • separator
  • 0
  • comentários

Antes de David Luiz abrir as cobranças de pênalti no Estádio Mineirão, o goleiro Júlio César já caiu em lágrimas. Para o bem ou para o mal, era a certeza de que teria a chance de uma redenção de 2010, quando falhou em um dos gols que garantiu a Holanda na semifinal daquele Mundial. Foi apenas a antecipação de um choro de alegria por ajudar na vitória nos pênaltis por 3 a 2 com duas defesas.

<p>Júlio César teve tarde decisiva no Mineirão</p>
Júlio César teve tarde decisiva no Mineirão
Foto: Dylan Martinez / Reuters

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Logo na primeira tentativa chilena, Júlio César apareceu e afastou qualquer insinuação de que estaria tremendo com a situação. O chute de Pinilla foi no meio do gol, mas o camisa 12 teve a presença de espírito de ficar mais no centro, espalmando. David Luiz tinha aberto a contagem para o Brasil, mas na sequência Willian perdeu, igualando a disputa.

Mas Júlio César estava inspirado. Mesmo com o melhor jogador do Chile, Aléxis Sanchez, na marca do pênalti, pulou no canto direito e fez uma defesa, mesmo em um cobrança muito bem efetuada. O Brasil voltava a ter vantagem.

"O choro é fácil falar. Nunca escondi que sou emotivo o choro porque individualmente jogadores chegaram para mim e falaram coisas muito bonitas. Eu sabia que tinha de estar focado naquele momento que decidiria nosso momento na Copa. Agradeço a cada um deles. Depois, nas penalidades, foquei e me concentrei bastante para fazer o meu trabalho da melhor maneira possível", disse o goleiro eleito o melhor da partida.

Os chutes de Aránguiz e Dias ele não conseguiu pegar. Como Hulk errou e Neymar fez o seu, Júlio César voltou à meta com 3 a 2 para o Brasil e a chance de completar a sua redenção. Jara cobrou, o goleiro foi no canto certo e a bola explodiu na trave. A vaga nas quartas estava garantida.

Em 2004, Júlio César já havia sido fundamental para a vitória brasileira na Copa América, pegando um pênalti de D’Alessandro na final contra Argentina. Neste sábado, ainda foi importante ao defender um chute à queima-roupa de Aranguiz ao final do segundo tempo.

A torcida, em coro, gritou o nome do goleiro durante todas as cobranças de pênaltis, mas Júlio César sabe que ainda falta muito para uma redenção completa. Já nas quartas de final ele entrará como herói, sem poder dar espaço para uma nova vilania em Copas.

Ouça as principais músicas do Mundial:

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade