PUBLICIDADE

Basquete

Kevin Durant diz que ajudou a convencer NBA a liberar uso de maconha: 'Todos usam, é como vinho'

Astro do Phoenix Suns admite conversa com Adam Silver, comissário da NBA, para a substância sair da lista de proibidas da liga

26 jul 2023 - 16h40
Compartilhar
Exibir comentários

O jogador de basquete Kevin Durant, astro do Phoenix Suns e bicampeão com o Golden State Warriors, ajudou a convencer a NBA a tirar a maconha de sua lista de substâncias proibidas. Em entrevista ao canal americano CNBC, o ala-pivô, que já falou mais de uma vez sobre sua relação com a cannabis e vinha defendendo publicamente a liberação do uso entre jogadores da liga, revelou ter conversado sobre o assunto com Adam Silver, comissário da NBA.

"Eu falei com ele (Adam Silver) e defendi que a maconha fosse retirada da lista de substâncias banidas. Eu senti que estava se tornando uma coisa, no país e no mundo, que estava deixando o estigma para trás. Não é visto tão negativamente quanto era antes. Não afeta você de nenhuma maneira negativa", disse. "Ele concordou. Ele sentiu o cheiro quando eu entrei e ele meio que entendeu o que estava acontecendo. É a NBA, cara, todo mundo usa, é como vinho a essa altura", concluiu.

No final de junho, a Associação Nacional de Jogadores de Basquete (NBPA, na sigla em inglês), assinou um novo acordo coletivo com a NBA e uma das determinações é justamente retirada da maconha da lista de substâncias proibidas. O documento também regulamenta condições para que jogadores da liga possam investir em empresas ligadas à cannabis, assim como fazer publicidade para esse mercado.

Ter o direito de consumir maconha sem correr o risco de sofrer alguma suspensão é uma luta empreendida por Durant há algum tempo. Em 2021, ele firmou uma parceria com a 'Weedmaps', empresa de comércio eletrônico que conecta consumidores e vendedores de variados produtos feitos a partir da planta, e disse que tinha o desejo de desestigmatizar o consumo. Nos Estados Unidos, o uso recreativo de maconha é legal em 24 estados.

Até então, na NBA, a maconha fazia parte da lista de substâncias proibidas, mas a suspensão só acontecia após o atleta ser flagrado pela terceira vez na testagem da liga. Além disso, os testes aleatórios para detectar o uso estão suspensos desde 2020.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade