1 evento ao vivo

“Sou inocente”, afirma Ecclestone após acusação de suborno

17 mai 2013
09h22

Após ser acusado de suborno pelo Ministério Público de Munique, Bernie Ecclestone, maior dirigente da Fórmula 1, rapidamente rebateu as denúncias e negou sua participação nos casos em que foi acusado."Tudo o que sei é que sou inocente. No final, a verdade aparecerá", disse o britânico ao jornal alemão Bild.

Presidente da FOM, empresa que gerencia os assuntos da principal categoria de automobilismo do planeta, Ecclestone tem seu nome envolvido em casos de suborno e corrupção. Uma das acusações é de que ele teria pago 44 milhões de dólares a Gerhard Gribkowsky, ex-presidente do banco Bayern LB, durante a venda das ações da F1 para a CVC.

"Sou sincero e não sei qual é o estado atual dessa situação. Faz tempo que não tenho contato com os meus advogados. Isso é uma besteira. Além do que, o dinheiro que paguei não tinha nada a ver com venda na participação da Fórmula 1", comentou o dirigente.

Como a denúncia é feita pela Justiça alemã, Ecclestone já afirmou que poderá ir ao país para ajudar a resolver o caso. A situação entre o ex-presidente do banco alemão e o chefão da F1 aconteceu em 2006. Em 2012, Gribkowsky foi condenado a oito anos e meio de prisão.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade