PUBLICIDADE

Morre Sir Frank Williams, lenda da F1, aos 79 anos

Sir Frank Williams foi fundador da Williams e um dos mais vitoriosos chefes de equipe da história da F1

28 nov 2021 13h21
ver comentários
Publicidade
Sir Frank Williams, lendário fundador da Williams, faleceu nesse domingo (28)
Sir Frank Williams, lendário fundador da Williams, faleceu nesse domingo (28)
Foto: Williams Racing / Divulgação

Morreu na manhã desse domingo (28) Sir Frank Williams, o lendário fundador da equipe Williams, aos 79 anos. Segundo comunicado emitido pela equipe, Frank estava internado desde sexta-feira (26) e faleceu em paz, ao lado de seus familiares. As causas não foram divulgadas.

Nascido em 1942, Frank teve breve experiência como piloto e mecânico na Fórmula 3 e em carros de turismo na juventude, até formar a Frank Williams Racing Cars em 1966 e passar do volante à garagem em definitivo. A equipe participou da Fórmula 2 e, após boa campanha em 1968, Frank comprou um chassi Brabham para correr na Fórmula 1.

A equipe participou de forma regular na categoria desde então, sempre com chassis comprados de outros fornecedores. O primeio chassi próprio veio em 1975, já com a clássica denominação "FW" (suas iniciais), mantida até os dias atuais. Foi nesse ano que a Frank Williams Racing Cars conseguiu seu melhor resultado: um 2º lugar com Jacques Laffite no GP da Alemanha. Em 1976, Frank vendeu a equipe para Walter Wolf, e saiu em 1977.

No ano seguinte, ele e Patrick Head formaram a Williams Grand Prix Engineering. Os primeiros títulos vieram já em 1980, tanto de construtores quanto de pilotos, com Alan Jones. O de construtores veio novamente no ano seguinte. Em 1982, o contrário: apenas de pilotos, com Keke Rosberg. Na época, a equipe utilizava motores Ford-Cosworth.

Frank Williams no início dos anos 1980
Frank Williams no início dos anos 1980
Foto: Jean Todt / Twitter

Em 1986, a equipe formou um conjunto poderoso, com Nelson Piquet e Nigel Mansell ao comando do excelente chassi FW11 e o forte motor Honda turbo. Mas, ainda antes do início da temporada, Frank sofreu um acidente de carro ao sair de uma sessão de testes em Paul Ricard, na França, que o deixou tetraplégico. No entanto, isso não o impediu de continuar no dia-a-dia da equipe.

A dupla Piquet-Mansell conquistou dois títulos de construtores em 1986 e 1987, com o brasileiro sendo campeão de pilotos em 1987.

O auge da Williams Grand Prix foi nos anos 1990, utilizando motores Renault. Foram três títulos de construtores seguidos, entre 1992 e 1994, com Mansell e Alain Prost vencendo entre os pilotos nos dois primeiros anos dessa sequência.

1994 foi um ano trágico para a equipe. Ayrton Senna, então estrela da Fórmula 1, morreu em um acidente em Ímola, apenas em sua terceira corrida pela Williams. Desde então, todos os carros da equipe sempre contam a logo da marca Senna como forma de homenagear o ídolo brasileiro.

Os últimos anos de glória foram 1996 e 1997, com dois título de construtores e dois de pilotos, com Damon Hill e Jacques Villeneuve, respectivamente.

Em 1999, Frank Williams foi condecorado pela Rainha da Inglaterra com a honraria de Cavaleiro da Coroa por seus serviços prestados no automobilismo, passando a ser Sir Frank Williams.

Ainda foram conquitados bons resultados entre 2000 e 2003, quando a BMW era parceira da equipe. Depois disso, a equipe começou a entrar em declínio. A última vitória veio de forma surpreendente em 2012, com Pastor Maldonado. Sir Frank deixou o comando diário da equipe nesse mesmo ano, passando o bastão para sua filha Claire. 

O último lampejo de bons resultados foi já com motores Mercedes, em 2014 e 2015, com alguns pódios e uma pole, mas sem vitória. Nesses dois anos, a equipe terminou em 3º entre os construtores, com Valtteri Bottas e Felipe Massa como pilotos. Entre 2018 e 2020, a Williams viveu seus piores anos, terminando em último entre os construtores.

A família Williams vendeu a equipe em 2020 para o grupo de investimentos americano Dorinton capital.

Sir Frank Williams era considerado o último dos garagistas. Sua equipe, formada do zero, com poucos recusos e sem nenhum apoio oficial de grandes fabricantes de automóveis, foi a última desse tipo a obter sucesso na Fórmula 1. Sob seu comando, a Williams conquistou 9 títulos de construtores, 7 de pilotos e 114 vitórias. É a 2ª equipe com mais títulos de construtores na história da Fórmula 1, atrás apenas da Ferrari, e a 4ª com mais vitórias na categoria.

Parabólica
Publicidade
Publicidade