PUBLICIDADE

Hamilton responde críticas de Ecclestone: "Eu não sei por que damos palco"

Lewis Hamilton respondeu os comentários de Bernie Ecclestone, que tentou defender Nelson Piquet. Heptacampeão afirmou que não entende o palco que vozes velhas do esporte ganham

30 jun 2022 - 12h33
Ver comentários
Lewis Hamilton criticou Bernie Ecclestone
Lewis Hamilton criticou Bernie Ecclestone
Foto: Justin Tallis/AFP / Grande Prêmio

PIQUET BANIDO DA F1 POR FALA RACISTA E HAMILTON PEDINDO AÇÃO | TT GP #58

Lewis Hamilton participou da coletiva de imprensa do GP da Inglaterra, realizada nesta quinta-feira (30), e não se esquivou sobre as perguntas das declarações racistas do tricampeão mundial Nelson Piquet, que repercutiram mundialmente nesta semana e ganhou repúdio do mundo do esporte a motor.

Na coletiva, Hamilton indiretamente respondeu Bernie Ecclestone, antigo chefão da Fórmula 1 que deu entrevista ao programa Good Morning Britain defendendo Piquet e dizendo que estava surpreso por Lewis não ignorar o fato. Mesmo sem citar nomes, o heptacampeão teceu críticas.

"Eu não sei por que continuamos a dar palco a estas vozes velhas, porque estão falando sobre nosso esporte e queremos ir a um lugar completamente diferente. Não é representativo, eu penso, de quem somos como esporte agora e onde planejamos estar", declarou.

Nelson Piquet usou termo racista mais de uma vez para se referir a Hamilton (Foto: Reprodução)

Ecclestone, que também afirmou na entrevista que levaria um tiro pelo presidente russo Vladimir Putin e defendeu a invasão russa na Ucrânia, tem histórico de declarações minimizando as questões raciais e o ativismo de Hamilton, que seguiu criticando as "vozes mais velhas" do mundo da Fórmula 1.

"Estas vozes velhas, subconscientemente ou conscientemente, não concordam que pessoas como eu, por exemplo, deveriam estar em um esporte como esse. Não concordam que as mulheres devam estar aqui. Ninguém deveria ter de ignorar o racismo, e não deveria ser para mim ignorá-lo", seguiu.

O comentário com uso de termo racista por parte de Nelson Piquet ocorreu no ano passado, quando o tricampeão comentava a batida entre o piloto da Mercedes e Max Verstappen no GP da Inglaterra de Fórmula 1.

No vídeo, que ganhou repercussão na imprensa internacional, o jornalista Ricardo Oliveira questionou Piquet sobre uma manobra parecida de Ayrton Senna no passado, e o tricampeão discordou. "O 'neguinho' meteu o carro e não deixou [Verstappen passar]. […] O 'neguinho' deixou o carro, porque não tinha como passar dois carros naquela curva. […] O 'neguinho' fez de sacanagem", disse Piquet na entrevista concedida em 3 de novembro de 2021.

Ecclestone tentou defender Piquet na mídia (Foto: Reprodução)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Lewis Hamilton respondeu a fala de Piquet nas suas redes sociais. Primeiramente, postou em seu Twitter uma mensagem em português. "Vamos focar em mudar a mentalidade", escreveu o heptacampeão mundial. Pouco depois, o piloto da Mercedes voltou a tweetar em inglês e clamou por contundentes ações antirracistas.

"É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Eu fui cercado por essas atitudes e fui um alvo por minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação", enfatizou Hamilton.

O fato gerou manifestações públicas de repúdio da Fórmula 1, que não citou o nome de Piquet em comunicado oficial divulgado nas primeiras horas desta terça-feira (28). "Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não faz parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito. Seus esforços incansáveis para aumentar a diversidade e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o qual estamos comprometidos na F1", ressalta a nota da F1.

Lewis Hamilton pediu ação após uso de termo racista por parte de PIquet (Foto: Mercedes)

A Mercedes também se manifestou oficialmente sobre a linguagem usada por Piquet. "Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diversificado e inclusivo, e este incidente destaca a importância fundamental de continuarmos lutando por um futuro melhor", disse a equipe.

A FIA também repudiou o acontecimento, dizendo por meio de nota oficial em sua conta no Twitter que "condena veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no esporte ou na sociedade em geral."

"Expressamos nossa solidariedade a Lewis Hamilton e apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no esporte a motor", finalizou a entidade.

Em nota enviada para a imprensa internacional na última quarta-feira (29), Piquet pediu desculpas a Hamilton, mas tentou justificar afirmando que houve uma "tradução incorreta" do termo racista. Apesar da tentativa de retratação, a Fórmula 1 estuda banir o ex-piloto e tricampeão mundial do paddock.

O GP da Inglaterra acontece entre os dias 1 e 3 de julho no circuito de Silverstone, com cobertura AO VIVO e em TEMPO REAL do GRANDE PRÊMIO.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade