PUBLICIDADE

F1: Monza e Imola devem permanecer no calendário até 2030

Em entrevista ao Gazzetta dello Sport, Presidente do ACI diz que há um acordo para Monza e Imola ficarem. Mas ainda existem detalhes.

9 nov 2023 - 10h46
Compartilhar
Exibir comentários
Abertura do GP da Italia: Monza deve ficar até 2030, mas depende de detalhes
Abertura do GP da Italia: Monza deve ficar até 2030, mas depende de detalhes
Foto: Autodromo di Monza

Uma das preocupações dos fãs da F1 é que a categoria abandone locais históricos e só vá para onde paguem mais. O CEO da F1, Stefano Domenicali, deixou claro que a intenção é fazer um equilíbrio entre as duas partes, embora saiba que a fila de locais voltou a crescer e boa parte da arrecadação vem justamente dos valores dos organizadores.

Um aceno para os tradicionalistas foi a renovação de Interlagos até 2030. O autódromo paulistano vem sendo palco de corridas marcantes, incluindo mesmo as mal-amadas Sprint Races. Agora, mais notícias neste sentido chegam à público.

Em entrevista dada nesta quinta (9) ao Gazetta dello Sport, Angelo Damiani Sticchi, Presidente do Automóvel Clube Italiano (ACI), revelou que já tem um acordo com a F1 para renovar o acordo com Monza até 2030 (mesmo período de Interlagos).

O circuito vem passando por uma extensa sequência de obras para modernizar sua infraestrutura e a prova tem contrato com a categoria até 2025. Segundo o dirigente, parte das intervenções deverá estar pronta a tempo da corrida do próximo ano.

Imola também deve ficar até 2030

O que chamou a atenção na entrevista foi que Sticchi revelou que negociações também vêm sendo conduzidas para que Imola permaneça no calendário da F1. Após a não-realização da prova este ano por conta das chuvas, uma extensão do acordo atual em 1 ano era dada como certa. Mas Sticchi diz que a situação de Imola é mais clara do que a de Monza.

"Imola tem uma situação mais clara porque os administradores, o município e o Governo da Emilia Romagna estão empenhados para terminar a modernização do circuito até a primavera (final de junho), incluindo novos boxes e paddock club. Já Monza existem as restrições quanto a parte ambiental e o contrato com o Consórcio Parque (atual administrador) vai até 2028", diz Sticchi.

Neste aspecto, Sticchi diz que espera contar com o apoio dos Governos Nacional e Local em relação a Monza. As obras de modernização de Monza estão sendo feitas com fundos do ACI e o dirigente espera que o Governo da Lombardia (estado onde fica Monza) também colabore, seguindo o mesmo modelo de Imola.

"Era inevitável que houvesse um aumento dos custos a partir de 2026, até porque Monza paga atualmente menos do que todos os outros na Europa. Hoje é impossível cobrir os custos de um GP apenas com as receitas de bilheteria. Na verdade, os governos de todo o mundo cobram impostos para os apoiar. Cada um deve fazer sua parte", finalizou o dirigente.

Parabólica
Compartilhar
Publicidade
Publicidade