PUBLICIDADE

Drugovich: "O maior frustrado de não estar na F1 sou eu"

Em entrevista à imprensa após a confirmação de sua permanência como reserva da Aston Martin para 2024, Drugovich fala sobre a experiência

2 nov 2023 - 11h13
(atualizado às 11h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Felipe Drugovich em ação em Monza: brasileiro segue mais um ano como reserva na Aston
Felipe Drugovich em ação em Monza: brasileiro segue mais um ano como reserva na Aston
Foto: Aston Martin F1 Team

Felipe Drugovich recebeu alguns veículos da imprensa brasileira após a confirmação de sua permanência como piloto de testes e reserva da Aston Martin para a temporada 2024. O piloto mostrou otimismo para o futuro e avaliou como positivo o trabalho feito até aqui.

Sobre este ponto, Drugovich ficou muito satisfeito com o trabalho desenvolvido. "Foram pelo menos 12 dias de trabalho de pista com o carro, sendo 10 com o carro antigo e pelo menos 2 com o carro deste ano, incluindo a pré-temporada no Bahrein". O brasileiro também ressaltou o trabalho executado no simulador e toda a participação para entender o funcionamento do time.

Drugovich em coletiva no hospitality da Aston
Drugovich em coletiva no hospitality da Aston
Foto: Luis Gustavo Ramiro

"O trabalho desenvolvido este ano serviu para que a equipe tivesse mais confiança em mim", ressaltou Drugovich. Desta forma, deverá participar mais das discussões sobre acerto e impressões sobre o carro. Um ponto que o piloto considerou positivo foi o trabalho feito fora da pista, que, segundo ele, "o tornou um piloto mais completo".

Perguntado sobre 2024, Drugovich respondeu que recebeu consultas de outras equipes e de outras categorias. Mas que "como as negociações da F1 se alongaram, tive que dizer não para algumas". Como ele mesmo brincou "O maior frustrado de não estar na F1 sou eu. Primeiro, sou um torcedor e o meu sonho sempre foi estar na F1.".

Mesmo confirmado pela Aston Martin, Drugovich falou que está procurando outros programas para fazer em paralelo e que existem boas possibilidades. "Não vejo que a Aston iria me segurar caso recebesse algum convite interessante". Além disso, o piloto declarou que aguarda com ansiedade o TL1 do Abu Dhabi para pilotar novamente o AMR23.

Parabólica
Compartilhar
Publicidade
Publicidade