PUBLICIDADE

AlphaTauri destaca "grande passo à frente" de Tsunoda na F1: "Se aproximou de Gasly"

Chefe de desempenho da AlphaTauri, Guillaume Dezoteux destacou aprendizado de Yuki Tsunoda após seu primeiro ano de Fórmula 1 e argumentou que piloto subiu bastante de rendimento após acumular conhecimento na categoria

28 jun 2022 - 10h57
Ver comentários
Tsunoda subiu de patamar de um ano para o outro, na visão da AlphaTauri
Tsunoda subiu de patamar de um ano para o outro, na visão da AlphaTauri
Foto: AlphaTauri / Grande Prêmio

RITMO DA MERCEDES NO GP DO CANADÁ DE FÓRMULA 1: DÁ PARA DIZER QUE A MELHORA É REAL?

O GP do Canadá representou um verdadeiro desastre para Yuki Tsunoda, que rodou na saída do pit-lane e foi no muro ao sair dos boxes — jogando no lixo sua corrida e a da AlphaTauri, que também não conseguiu ter ritmo com Pierre Gasly. No entanto, a temporada 2022 do japonês tem sido bastante superior à de estreia em termos de pontos, o que rendeu alguns elogios do chefe de desempenho do time italiano, Guillaume Dezoteux.

"Yuki [Tsunoda] deu um grande passo à frente em relação ao ano passado", começou Dezoteux. "Ele tem mais experiência, conhece as pistas, conhece seus engenheiros e mecânicos, então o relacionamento está melhorando constantemente", afirmou o chefe de performance.

"Acho que é um campeonato muito difícil e desafiador para os pilotos mais jovens", explicou Dezoteux. "São poucas oportunidades para testes, os testes de inverno são muito cheios e existem muitas coisas para se entender sobre o carro, então é difícil dedicar tempo ao piloto e deixá-lo aprender sobre o carro", disse.

Yuki Tsunoda conheceu o muro do Circuito Gilles Villeneuve e abandonou a corrida no Canadá (Foto: Reprodução/F1)

Tsunoda soma 11 pontos no campeonato após nove corridas disputadas, apenas cinco a menos do que Gasly. No ano passado, para se ter uma ideia, o japonês tinha nove com o mesmo número de corridas — o francês, por sua vez, já havia somado 40 tentos. Com um carro menos poderoso em 2022, o desempenho dos dois pilotos se tornou mais próximo.

"Acho que isso se confunde um pouco com o piloto novato descobrindo as pistas e os carros", opinou. "Com certeza ele está crescendo muito desde o ano passado, e agora ele pode ser mais consistente, seu feedback melhorou muito, seus engenheiros entendem o que ele precisa para ser rápido. E ele se aproximou de Pierre [Gasly], o que é muito positivo porque também está empurrando Pierre, então estou muito feliz com a situação agora", salientou.

A queda de produção da AlphaTauri fica explicitada na classificação, se comparada à do ano passado. Enquanto o time tem 27 pontos em 2022, eram 48 tentos no ano passado após nove corridas disputadas. No entanto, Dezoteux vê forte influência do azar nos resultados que o time vem conseguindo até aqui no campeonato.

Tsunoda está mais próximo do ritmo de Gasly, segundo Dezoteux (Foto: AlphaTauri)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"Tem sido um começo de temporada difícil para nós", continuou Dezoteux. "O ritmo do carro definitivamente vale mais do que os pontos que temos até agora. Nas primeiras três corridas da temporada tivemos muito azar, em quase todas as vezes o safety-car saiu logo após nosso pit-stop na corrida, então não há muito o que fazer sobre isso", lamentou.

"Em Ímola, tivemos um fim de semana forte, e também em Miami — muitos erros, mas no geral fomos mais competitivos", salientou. "Barcelona tem sido um desafio. A condição da pista, a temperatura da pista muito quente, foi algo que realmente não se adaptou ao nosso pacote e que precisamos melhorar", admitiu.

"Desde Mônaco, o carro mostrou um bom desempenho nas curvas sinuosas de baixa velocidade e temos bastante aderência mecânica", destacou. "Encontramos uma maneira de tornar o carro confortável", finalizou Dezoteux.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade