0

Oratória para negociação - 4 pilares fundamentais

Um erro muito comum é associar a palavra “negociar” a um tipo de vendas ou acordos burocráticos.

17 abr 2019
07h00
  • separator
  • comentários

Oi, Speaker!

Você se lembra de alguma situação na qual sentiu dificuldades para negociar? Seja um pedido de aumento de salário, a venda ou compra de um produto ou mesmo no seu dia a dia, caso a sua profissão esteja diretamente relacionada ao chamado “fazer negócios”?

Provavelmente sim, já que, embora nem sempre preparados para isso, saber negociar é uma habilidade à qual todos nós teremos que recorrer algum dia, por diferentes razões e em contextos distintos.

Tanto para estarmos prontos para essas situações como para impulsionar a nossa carreira (se a negociação for nossa atividade central), conhecer técnicas de oratória para negociação é indispensável.

Por isso, no nosso artigo de hoje, vou falar um pouco mais sobre negociação e oratória, para que você possa conhecer algumas técnicas eficazes e melhorar a sua comunicação persuasiva. Vamos lá?

Foto: Shutterstock

Técnicas para negociar

Um erro muito comum é associar a palavra “negociar” a um tipo de vendas ou acordos burocráticos, por exemplo. Na prática, as pessoas têm de negociar constantemente, já que viver em sociedade implica nesse tipo de conduta.

Se bem é verdade que há profissionais que dependem diretamente da boa negociação (como vendedores e advogados, por exemplo), negociar faz parte da vida de todas as pessoas e, assim, as técnicas da oratória podem (e devem) ser aplicadas por todos.

Vejamos alguns aspectos centrais para uma boa negociação:

1. Para negociar, um pré-requisito é falar o mais claro possível

Negociar pode ser definido como a ação de persuadir alguém sobre determinado tema, que implica em algum resultado bem específico, como a compra de um produto ou a assinatura de um acordo.

Ao negociador, é indispensável saber falar com clareza, afinal, para que a outras pessoas aceitem seus argumentos e ideias, é preciso que seu raciocínio tenha sido compreendido por elas.

Organizar o pensamento para expressar ideias é a chave para que o discurso durante uma negociação tenha sentido e possa surtir o efeito desejado. Falar “aos rodeios”, sem ir direto ao ponto; usar termos técnicos excessivamente e ser pouco claro na apresentação dos argumentos são erros que colocam em risco a negociação.

2. Saiba sobre o que você está falando

Não basta ter organização de pensamento, é preciso saber o que falar. Numa negociação, conhecer o assunto em questão e se informar o máximo possível sobre ele são cuidados que podem mudar os resultados.

Apresentar fatos, dados, opiniões de especialistas e tudo o mais que puder sustentar um argumento é uma maneira de deixar poucas brechas para a discussão, refletindo, ao mesmo tempo, no alcance ou não das metas propostas.

3. Não tenha medo de fazer valer a sua vontade

Parte essencial de uma negociação, independente do seu contexto, é saber falar não quando necessário. Para muitas pessoas, especialmente em ambientes de trabalho, ou ao lidar com clientes, a dificuldade em expressar a própria vontade e dizer não quando for necessário é gigantesca.

Ter uma posição firme não significa ser grosseiro. Defender seus objetivos não é sinônimo de impor vontades sem se preocupar com os demais. Defender seus argumentos e ideias deve ser uma prioridade, o que mostra profissionalismo. Não deixe de fazer isso pelo medo de desagradar aos demais, ok?

4. Não se esqueça da comunicação não-verbal

Estamos sempre sendo observados e isso é um fato. Numa negociação, as partes envolvidas não se atentam apenas ao conteúdo de uma fala, mas também para a forma com que o outro se comunica, se demonstra segurança ou insegurança, se sabe do que está falando...

Em outras palavras, somos julgados pelo que dizemos e pelo modo como nos comportamos. Ou seja: pela nossa linguagem verbal e não verbal.

Quando digo linguagem não-verbal, me refiro à postura, voz, expressões faciais, contato visual... Numa negociação, assim como em outras situações de exposição de fala, procure manter a postura ereta, saiba utilizar a sua voz, mantenha contato visual e harmonize suas expressões com o que você está dizendo.

 

Esses quatro tópicos mudam uma negociação. E, assim como outros aspectos relacionados à oratória, podem ser adquiridos com a prática.

Muitas pessoas veem comerciantes, advogados ou outros profissionais que trabalham diretamente com negociação e pensam que nasceram com o “dom de negociar”. A capacidade de negociar não é uma característica que as pessoas simplesmente têm ou não têm. Ao contrário, ela é desenvolvida, assim como a habilidade de falar em público.

Todos podem se tornar bons negociadores, desde que tenham acesso ao conhecimento e à orientação necessária para isso!

Fonte:

www.thespeaker.com.br

 

The Speaker
  • separator
  • comentários
publicidade