0

Onyx: PEC da capitalização será enviada nas próximas semanas

Ministro-chefe da Casa Civil diz que o texto será encaminhado à Câmara durante a tramitação da Previdência no Senado

10 ago 2019
12h02
atualizado às 12h50
  • separator
  • 0
  • comentários

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou neste sábado (10) que o governo vai enviar nas próximas semanas uma proposta de capitalização do sistema previdenciário ao Congresso Nacional. O texto deverá ser enviado à Câmara ainda durante a tramitação da reforma da Previdência no Senado, disse Onyx durante a Marcha para Jesus, que está sendo realizada em Brasília. O conteúdo está sendo formulado pela equipe econômica.

Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil, participa de evento em São Paulo (Foto: 17/06/2019)
Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil, participa de evento em São Paulo (Foto: 17/06/2019)
Foto: Aloisio Mauricio / Fotoarena/Estadão Conteúdo

Onyx defendeu que a proposta estabeleça uma contribuição patronal. Ele classificou a medida como a "Lei Áurea para o Brasil" porque, de acordo com o ministro, vai alavancar a poupança externa e "livrar o Brasil do capital externo". "Logo vai haver todo um detalhamento. Eu defendo que tenhamos optativamente ou um fundo de capitalização ou poupança individual para aposentadoria, isso que o brasileiro conhece bem, é seguro e dará segurança para os futuros participantes da capitalização."

Procuradoria-Geral da República

Onyx falou ainda sobre as dificuldades na Procuradoria-Geral da República (PGR). Segundo ele, fazem parte do amadurecimento da instituição. E comparou a situação do órgão - que deve ter o futuro titular nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro nos próximos dias - ao próprio governo, que, de acordo com Onyx, tem outra posição em relação a janeiro. Na sexta, 9, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, disse ao Broadcast que a PGR "se apequenou".

"O ministro Jorge se refere a momentos de dificuldade que foram vividos, inclusive, pelo Ministério Público (e) fazem parte desse amadurecimento que a democracia brasileira vem vivendo. Nós mesmos éramos um governo com uma leitura em janeiro e é um governo com outra posição e outra leitura agora", disse o ministro.

Ele acrescentou que o governo avançou na relação com o Congresso, Judiciário e Ministério Público e que todos amadureceram.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade