0

Lucro do BB sobe 25,6% em um ano e vai a R$ 3,4 bi

Em relação ao trimestre anterior, lucro da instituição cresceu 5%

8 nov 2018
08h46
atualizado às 10h21
  • separator
  • 0
  • comentários

O Banco do Brasil encerra nesta quinta-feira, 8, a temporada de balanços dos grandes bancos de capital aberto no País ao divulgar lucro líquido ajustado de R$ 3,402 bilhões no terceiro trimestre, montante 25,6% maior que o registrado um ano antes, de R$ 2,708 bilhões. Em relação aos três meses anteriores, quando a cifra foi de R$ 3,240 bilhões, cresceu 5,0%.

O resultado do BB no terceiro trimestre, conforme relatório que acompanha suas demonstrações financeiras do período, foi impulsionado por menores gastos com calotes e crescimento da margem financeira líquida. Também serviu de motor, segundo o banco, o maior aumento da recuperação de créditos no período.

Logo do Banco do Brasil do lado de fora de uma agência em São Paulo
Logo do Banco do Brasil do lado de fora de uma agência em São Paulo
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

Nos nove primeiros meses de 2018, o lucro líquido ajustado do BB foi a R$ 9,7 bilhões, crescimento de 22,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, de R$ 7,903 bilhões. "O resultado foi impactado pela redução das despesas de provisão de crédito, pelo aumento das rendas de tarifas, que cresceram acima da inflação e pelo controle de custos, que variaram abaixo da inflação", explica o BB, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras.

A carteira de crédito ampliada do BB totalizou R$ 686,264 bilhões ao fim de setembro, leve elevação de 0,1% ante junho, quando o saldo era de R$ 685,462 bilhões. Em um ano, aumentou 1,4%. O impulso veio da pessoa física, com expansões de 1,0% ante junho e de 2,3% em 12 meses. Na pessoa jurídica, porém, recuou 2,3% e 5,9%, respectivamente.

No critério carteira de crédito orgânica interna, referência do banco para seu guidance, o saldo foi a R$ 636,952 bilhões, aumento de 2,2% em um ano e de 0,6% ante o segundo trimestre.

O BB fechou setembro com R$ 1,471 trilhão em ativos totais, cifra 5,1% maior em um ano. No comparativo trimestral, aumentou 1,4%.

O patrimônio líquido do BB era de R$ 103,820 bilhões ao término de setembro, 11,0% superior em um ano e 1,2% em três meses. Seu retorno sobre o patrimônio líquido (RSPL) no quesito mercado foi a 14,3% no terceiro trimestre ante 14,3% no segundo. Em um ano, estava em 12,8%. No critério acionista, o retorno do BB foi a 15,7% contra 15,1% no segundo trimestre e 14,1% em 12 meses. Segundo o banco, a melhora do indicador "reforça o compromisso de aumento da rentabilidade".

O lucro líquido do BB, considerando eventos extraordinários, ficou em R$ 3,175 bilhões no terceiro trimestre, elevação de 11,8% em um ano, de R$ 2,841 bilhões. Em três meses, quando foi de R$ 3,135 bilhões, cresceu 1,3%. A diferença entre o lucro ajustado e o resultado com eventos não recorrentes no segundo trimestre, conforme o banco, se deu por conta de R$ 444 milhões com provisão extraordinária com demandas contingentes e, do lado positivo, efeitos fiscais de R$ 211 milhões.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade