PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Inadimplência corporativa global dobrou de março a abril, diz S&P

15 mai 2024 - 17h51
Compartilhar
Exibir comentários

A dívida corporativa global inadimplente mais do que dobrou em abril em relação a março, atingindo o maior registro mensal desde outubro de 2020, conforme relatório da S&P Global Ratings.

O mês de abril registrou 18 calotes em todo o mundo, liderados por dez nos Estados Unidos que somaram o valor de 7,1 bilhões de dólares, segundo relatório da S&P divulgado na segunda-feira. Isso inclui as recuperações judiciais do provedor de TI ConvergeOne Holdings e da varejista de moda Express Inc.

"Vencimentos iminentes, operações sob pressão e custos elevados de refinanciamento foram alguns dos principais motivos para o aumento das recuperações judiciais", disse o relatório.

Nos EUA, 56% do total de inadimplências publicamente classificadas em abril resultaram de recuperações judiciais, enquanto o restante veio de bolsas em dificuldades.

No entanto, as bolsas em dificuldades têm sido o principal fator de inadimplência global este ano, observou a S&P. Elas representaram 44% dos calotes em abril e 51% das inadimplências no acumulado do ano, levando a 28 inadimplências de empresas.

Embora o número de calotes globais tenha mais do que dobrado de março para abril, o volume da dívida caiu quase para metade, de 16,3 bilhões para 8,6 bilhões de dólares, segundo a S&P.

As empresas nos setores de produtos de consumo e de mídia e entretenimento lideraram a contagem de inadimplências em abril. Ambos os setores foram responsáveis pela maioria dos calotes deste ano até o momento.

Ainda que os EUA tenham liderado mundialmente em número de inadimplências no acumulado do ano, a contagem de inadimplências da Europa até o momento este ano, de 15, está no nível mais alto da região desde 2008, observou a S&P.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade