PUBLICIDADE

Fitch diz que colapso de mina da Braskem pode pressionar rating da companhia

1 dez 2023 - 16h56
Compartilhar
Exibir comentários

A agência de classificação de risco Fitch disse nesta sexta-feira que o colapso iminente de uma mina da Braskem em Maceió pode pressionar a nota de crédito e impactar o fluxo de caixa da companhia, mas ressaltou que as consequências desse potencial incidente ainda são incertas.

A Defesa Civil de Maceió disse nesta semana que há "um risco iminente de colapso" de uma mina de sal-gema desativada da petroquímica na capital alagoana, após intensificação de sismos na região, onde ainda estavam moradores de cerca de 20 imóveis.

"Outro evento geológico nas instalações da petroquímica poderia aumentar substancialmente novas reivindicações contra a ação da empresa e prejudicar a sua capacidade de acesso aos mercados de capitais, uma vez que os investidores estão mais restritos e preocupados com questões ESG", disse a Fitch em comentário assinado por Marcelo Pappiani e Adriana Eraso.

A Braskem disse que permanece monitorando a situação na mina 18, no bairro de Mutange, tomando "todas as medidas cabíveis para minimização do impacto de possíveis ocorrências".

A petroquímica provisionou até agora 14,4 bilhões de reais para dar conta das demandas relacionadas ao afundamento de solo em Maceió, atribuído por autoridades às atividades de mineração de sal realizadas há décadas sob a superfície da cidade.

A crise se aprofundou em 2018 com formação de rachaduras em ruas e imóveis de cinco bairros de Maceió. A Braskem encerrou a extração de sal-gema em maio do ano seguinte na região.

A empresa informou na quinta-feira que foi intimada sobre uma nova ação judicial movida por órgãos públicos relacionada ao afundamento do solo na cidade, com valor atribuído pelos autores de 1 bilhão de reais.

A Fitch disse nesta sexta-feira que a nova ação judicial está em estágios iniciais e precisa seguir o processo legal apropriado, o que pode demorar meses. "A Fitch monitorará a situação e não assumirá pagamento até que a empresa seja legalmente obrigada a pagar."

A agência acrescentou que, em seu cenário base, não assume novos desembolsos pela companhia no horizonte da nota de crédito, além dos já anunciados.

A projeção da Fitch é de pagamentos de cerca de 7,5 bilhões de reais até 2025, sendo 3 bilhões de reais tanto em 2023 quanto em 2024 e 1,5 bilhão de reais em 2025.

A estimativa da agência é de fluxos de caixa livre negativos em cerca de 4,5 bilhões de reais em 2023 e 3,5 bilhões de reais em 2024, enquanto o indicador voltaria a ficar positivo em aproximadamente 1 bilhão de reais em 2025.

A Fitch tem rating BBB- para Braskem, com perspectiva negativa.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade