12 eventos ao vivo

Embraer: aviação comercial representa 45,7% da receita no 2º trimestre

14 ago 2019
08h44
  • separator
  • 0
  • comentários

O segmento de Aviação Comercial da Embraer representou 45,7% da receita consolidada da Embraer no segundo trimestre deste ano, abaixo da fatia de 60,5% verificada há um ano. Segundo a empresa, esse movimento reflete o menor número de entregas entre abril e junho deste ano (26 jatos, ante 28), o que também levou a uma redução de 9,9% da receita líquida da divisão entre os trimestres.

Na contramão, a maior quantidade de jatos executivos entregues (25, ante 20 no segundo trimestre de 2018) fez com que a receita líquida da Aviação Executiva aumentasse 51,8%, para R$ 1,162 bilhão. Já a fatia do segmento na receita total da fabricante passou de 16,9% para 21,5%. Em informe de resultados, a empresa destaca que todas as suas unidades de negócio atingiram um "book-to-bill" (relação entre pedidos recebidos e entregas faturadas) acima de 1 vez durante o trimestre, sobretudo devido à "demanda contínua do mercado, principalmente pelos novos jatos Praetor e pela família de jatos Phenom na Aviação Executiva".

Em relação às aeronaves comerciais, a Embraer lembra que o E195-E2 - maior aeronave comercial já produzida pela empresa - recebeu certificação de três órgãos reguladores (ANAC, do Brasil; FAA, dos Estados Unidos; e a europeia EASA). A primeira cliente da nova aeronave da Embraer será a Azul, que deve começar a operá-la ainda neste ano. A Embraer também já recebeu pedidos pelo E195-E2 da Binter Canarias, Air Peace e KLM Cityhopper.

Já em Defesa & Segurança, a receita líquida aumentou mais de sete vezes em relação ao segundo trimestre de 2018, atingindo R$ 766,8 milhões. Com isso, a participação do segmento na receita total foi de 14,2%, ante 2,1% vistos um ano antes. A empresa observa que, no segundo trimestre de 2018, a divisão sofreu impacto das revisões da base de custos no contrato de desenvolvimento do jato militar KC-390 - o que levou a um ajuste negativo das receitas reconhecidas em períodos anteriores, já que os contratos de defesa são geralmente contabilizados pelo porcentual de conclusão.

O primeiro KC-390 deverá ser entregue à FAB no segundo semestre deste ano. "A campanha de ensaios em voo, focada nas funcionalidades militares, segue em ritmo acelerado, tendo ultrapassado a marca de 2.250 horas de voo", relata a Embraer.

Por fim, as receitas de Serviços & Suporte cresceram 8,9% em relação ao ano anterior, para R$ 1,001 bilhão no trimestre, representando 18,5% da receita consolidada da companhia, comparado a 20,3% no segundo trimestre de 2018.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade