PUBLICIDADE

Economia comemora veto do Senado a reajuste de servidores

Em nota, a pasta diz que derrubada traria "graves consequências" e parabeniza parlamentares que votaram à favor da manutenção do veto

21 ago 2020 07h42
| atualizado às 07h57
ver comentários
Publicidade

O Ministério da Economia comemorou a decisão da Câmara dos Deputados de manter o veto do presidente Jair Bolsonaro à concessão de reajuste a servidores públicos, afirmando que uma derrubada traria "graves consequências".

Ministro da Economia, Paulo Guedes
16/01/2020
REUTERS/Adriano Machado
Ministro da Economia, Paulo Guedes 16/01/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

A ação da Câmara na quinta-feira, 20, que evita um impacto superior a R$ 120 bilhões nas contas públicas, foi tomada depois que o Senado votou no dia anterior pela derrubada da proibição, em uma derrota para o governo.

"A possível derrubada traria graves consequências para as contas públicas, em especial de Estados e municípios. O Ministério da Economia parabeniza todos os deputados envolvidos na manutenção do veto do presidente Jair Bolsonaro...", afirmou o ministério em nota na noite de quinta-feira.

"Neste momento importante da democracia, é preciso elogiar, da mesma forma, os senadores que votaram favoravelmente à manutenção do veto, apesar do resultado negativo", completou.

Plenário da Câmara dos Deputados
25/10/2017 REUTERS/Adriano Machado
Plenário da Câmara dos Deputados 25/10/2017 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Encarada como um teste da base que o presidente Jair Bolsonaro tenta construir no Congresso, a votação do veto ocorreu após forte mobilização que contou com a participação do governo, de lideranças e também do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade