PUBLICIDADE

Deal investe R$ 4 milhões e lança a martech Alot

Integradora de TI resolveu separar sua vertical de marketing, unindo consultoria e tecnologia em uma nova startup

21 jul 2023 - 09h02
(atualizado às 09h11)
Compartilhar
Exibir comentários

A Deal já tem um nome estabelecido no mercado, atuando como integradora na parte de TI e atendendo empresas grandes, especialmente no setor financeiro. Entretanto, para impulsionar sua vertical voltada a inovação, marketing e experiência do usuário, ela resolveu lançar uma startup. Com isso, nasceu a martech Alot.

Alot
Alot
Foto: Alot. Canva / Startups

O spinoff é resultado de um investimento de R$ 4 milhões da Deal e tem como foco atacar com mais precisão as necessidades de marketing de grandes empresas, combinando consultoria e implementação de tecnologias.

Segundo o CEO da Alot, Fabiano Cruz, a nova empresa representa um movimento importante para a Deal (ou no caso, a Alot) atender estas novas necessidades das empresas, se tornando protagonista em uma visão de tecnologia e marketing integrados. Antes, a companhia possuía uma vertical de martech voltada à parte de estratégia e mídia, mas agora a Alot nasce como um negócio mais maduro, segundo analisa o executivo.

"Nossa abordagem consultiva com inteligência de mercado e atuação multidisciplinar mesclando marketing, design, mídia, dados e tecnologia, sem dúvida é nosso diferencial que permite criarmos soluções inovadoras e eficazes para o mercado. Soluções estas que vão além das ações físicas e digitais, promovendo o engajamento dos clientes com as marcas e impulsionando resultados significativos", afirma Fabiano.

Fernando Nawa, CIO e COO da Deal; Fabiano Cruz, CEO da Alot e Fabio Hayashi, Founder da Deal. Crédito: Germano Lures
Fernando Nawa, CIO e COO da Deal; Fabiano Cruz, CEO da Alot e Fabio Hayashi, Founder da Deal. Crédito: Germano Lures
Foto: Fernando Nawa, CIO e COO da Deal; Fabiano Cruz, CEO da Alot e Fabio Hayashi, Founder da Deal ( Germano Lures/divulgação) / Startups

A atuação da martech se dará em quatro frentes, partindo desde o mapeamento das dores dos clientes, passando por nutrição de leads, utilização de dados para branding e performance, até estratégias de expansão via projetos de growth hacking, social data intelligence, entre outros.

"Nosso foco é ajudar as empresas a entender onde o ponteiro está mudando na cadeia de valor, a ver onde faz sentido investir e como co-criar neste mundo em constante mudança. Como o nome da empresa indica, é um trabalho que envolve um monte de coisas", dispara Fabiano.

Planos de crescimento

A nova marca sob o guarda-chuva da Deal já nasce com alguns clientes na carteira, que migraram do portfólio da empresa-mãe. São nomes como Getnet Brasil, Authent, Apsen, Tempo, EMS Saúde, 88i e outros - alguns deles que já tiveram projetos de marketing executados antes da Alot se tornar uma operação separada.

Para atacar o mercado, entretanto, o plano da martech não é ficar distante da Deal e sua força de vendas. "Teremos formas de ataque diretamente como Alot, mas também atuaremos dentro de uma visão de grupo, tanto para captar novos clientes, como para crossell dentro da base da Deal", pontua o CEO.

Aliás, com o lançamento da nova marca, a estrutura da Deal passa a ser outra. A Alot se torna uma empresa debaixo do guarda-chuva do Grupo Deal, ao lado da Deal Technologies, novo nome para a divisão de integração de sistemas de TI.

Segundo Fabiano, a expectativa de crescimento é conservadora, mas sólida. "O mercado brasileiro e Latam está desafiador em termos de orçamentos para marketing, em função do cenário macro, mas nosso plano é o de crescer cerca de 20% a cada ano", pontua. "É uma visão pé no chão, pois os contratos que estamos buscando não são pequenos. A ideia não é quantidade, mas sim qualidade", finaliza o CEO, sem abrir valores.

Startups
Compartilhar
Publicidade
Publicidade