PUBLICIDADE

Coincidência ou não? O ranking de medalhas e as maiores economias do mundo

Descubra a relação entre o número de medalhas conquistadas nas Olimpíadas e a situação econômica dos países

9 ago 2021 12h16
| atualizado às 12h22
ver comentários
Publicidade
Quadro de medalhas
Quadro de medalhas
Foto: Shutterstock / Finanças e Empreendedorismo

Neste domingo (8), o mundo todo deu um "até breve" aos Jogos Olímpicos de Tóquio e iniciou a preparação para receber os Jogos Paralímpicos, programados para começar no próximo dia 24. 

Com o fim das Olimpíadas, um dos assuntos mais procurados no Google foi o "quadro de medalhas das olimpíadas de 2021". Para surpresa de um total de zero pessoas, os Estados Unidos estão no topo do ranking de medalhas, já que levaram para casa nada mais, nada menos, do que 113 medalhas. Na segunda posição do quadro vem a China, com 88 e em terceiro lugar, com quase metade das medalhas conquistadas pelo líder do ranking, está o Japão, com 58 medalhas. 

O Brasil ocupou a 12ª posição, trazendo para cá 21 medalhas, sendo 7 de ouro, 6 de prata e 8 de bronze. A campanha em Tóquio foi um pouco melhor do que a vivida nas Olimpíadas do Rio, quando o país conquistou a 13ª posição com um total de 19 medalhas. 

O que o quadro de medalhas e a economia mundial tem a ver?

A resposta para essa pergunta é simples: tudo! As três primeiras posições do quadro de medalhas em 2021 foram ocupadas pelas três maiores economias mundiais, de acordo com relatório elaborado pelo economista Alex Agustini, da agência brasileira de classificação de riscos Austin Rating, publicado pela CNN. 

O relatório foi feito com base nas projeções de crescimento globais feitas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e traz o ranking das maiores economias mundiais em 2021. Confira os dados abaixo:

1) Estados Unidos - PIB: US$22.675 bilhões

2) China - PIB: US$16.642 bilhões

3) Japão - PIB: US$5.378 bilhões

4) Alemanha - PIB: US$4.319 bilhões

5) Reino Unido - PIB: US$3.125 bilhões

… 13) Brasil - PIB: US$1.492 bilhões

Agora, vamos dar uma olhadinha no quadro de medalhas das Olimpíadas de Tóquio: 

1) Estados Unidos: 113 medalhas

2) China: 88 medalhas

3) Japão: 58 medalhas 

4) Grã-Bretanha: 55 medalhas

5) Atletas da Rússia: 71 medalhas

… 12) Brasil: 21 medalhas

Obs: nas Olimpíadas, o Reino Unido compete como Grã-Bretanha.

Isso quer dizer que para estar no top 5 do quadro de medalhas é preciso estar no top 5 das maiores economias mundiais? Na maioria dos casos sim, mas existem exceções, como a equipe de Atletas da Rússia.

A Rússia, assim como as potências econômicas da China e Estados Unidos, leva a prática de esporte a sério, com as chamadas "escolas de reserva olímpica". Em 2012, o Jornal Nacional visitou um desses locais e explicou como esses espaços funcionam.

"Visitamos uma das escolas de reserva olímpica de Moscou. Existem quatro destas na cidade; 36, no total, espalhadas pelo país. A seleção dos alunos não é feita tão cedo. Acontece na adolescência, aos 14 anos. O diretor da escola diz que existem observadores acompanhando todas as competições realizadas nessa faixa de idade. Os destaques são convidados para passar por avaliações especiais. Só depois é decidida a entrada ou não dos jovens na escola", conta a matéria publicada no G1. Nesses centros, 19 modalidades esportivas são praticadas. 

Hoje a Rússia está na 11ª posição do ranking das maiores economias mundiais, apenas duas posições à frente do Brasil. Contudo, por lá o esporte e as competições esportivas possuem um peso, um investimento e um significado diferente - mesmo o país não sendo parte do top 3 da economia mundial. 

Por fim, a resposta para a pergunta que fizemos lá no começo é inconclusiva, afinal, as maiores economias do mundo estão no topo do quadro de medalhas, mas elas estão lá "só" por conta disso ou por conta da importância que o esporte possui e do incentivo à prática esportiva? 

Finanças e Empreendedorismo
Publicidade
Publicidade