4 eventos ao vivo

Brasil tem superávit de US$ 434 mi em transações correntes

26 out 2017
10h36
atualizado às 12h40
  • separator
  • 2
  • comentários

O Brasil registrou superávit em transações correntes de 434 milhões de dólares em setembro, melhor dado para o mês em uma década, reflexo da contínua força das exportações na balança comercial.

Pessoas são vistas em frente a sede do Banco Central, em Brasília 
6/9/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Pessoas são vistas em frente a sede do Banco Central, em Brasília 6/9/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

Esta foi a primeira vez que o resultado do mês ficou no azul desde 2007, quando o saldo foi positivo em 481,5 milhões de dólares. O dado, divulgado pelo Banco Central nesta quinta-feira, superou expectativa de déficit de 250 milhões de dólares, segundo pesquisa Reuters com analistas.

Os Investimentos Diretos no País de (IDP) no mês alcançaram 6,339 bilhões de dólares, também acima da estimativa de mercado de 5,8 bilhões de dólares. De janeiro a setembro, ainda segundo o BC, o déficit em transações correntes ficou em 2,706 bilhões de dólares, contra rombo de 13,590 bilhões de dólares em igual período do ano passado.

Para 2017, o BC prevê déficit de 16 bilhões de dólares, fortemente ajudado pela venda de produtos brasileiros no exterior. Se confirmado, este será o melhor dado desde 2007, quando houve superávit de 408 milhões de dólares nas transações correntes. Em setembro, a balança comercial teve superávit de 4,918 bilhões de dólares, avanço de 36,3 por cento sobre o mesmo mês de 2016.

A alta foi mais do que suficiente para compensar, por exemplo, o aumento de 53,8 por cento dos gastos líquidos de brasileiros no exterior, a 1,309 bilhão de dólares no mesmo período. A remessa de lucros e dividendos também sofreu elevação de 39,5 por cento em setembro sobre um ano antes, a 1,257 bilhão de dólares.

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 2
  • comentários
publicidade