PUBLICIDADE

Barkin quer que alta de juros do Fed siga como opção e ainda não quer discutir cortes

29 nov 2023 - 14h31
Compartilhar
Exibir comentários

O presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, disse nesta quarta-feira estar "cético" de que a inflação está em queda para 2% e quer como opção outro aumento dos custos de empréstimos caso a inflação ganhe força.

"Não há necessidade de fazer nada com os juros se a inflação estiver caindo", disse Barkin numa entrevista à CNBC. "Mas se a inflação voltar a subir, penso que se deve ter a opção de aumentar a taxa básica".

Alguns dos colegas de Barkin no Fed afirmaram sentir-se mais confiantes de que a inflação está a caminho dos 2%, uma opinião que reforça o argumento a favor da manutenção da taxa básica do Fed no seu atual intervalo de 5,25% a 5,50%.

"Ainda estou na categoria 'à espera de ser convencido', e não na categoria "convencido"", afirmou Barkin.

Os mercados financeiros estão prevendo que não haverá mais aumentos dos juros. Investidores esperam que as reduções dos custos de empréstimos comecem em maio de 2024 e prevêem que a taxa básica termine o próximo ano mais de um ponto percentual abaixo do valor atual, com base nos preços dos futuros dos juros do Fed.

Para Barkin, esta é uma aposta em uma trajetória descendente da inflação muito mais fácil do que ele espera, especialmente tendo em conta o forte crescimento econômico que, na sua opinião, está incentivando empresas a continuarem a tentar aumentar os preços.

"Se acreditam, como eu acredito, que a inflação vai ser mais persistente do que eu gostaria, então acho que falar em reduzir os juros nesta altura é prematuro", disse.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade