PUBLICIDADE

Veteranas roubam a cena com personagens maternais em novela

Elizângela, Cláudia Mello e Luci Pereira se destacam pelo talento e carisma em ‘A Força do Querer’

1 ago 2017 10h58
ver comentários
Publicidade

É bonito ver um ator pegar um papel coadjuvante e transformá-lo em destaque numa trama já recheada de boas atuações.

Isso acontece em ‘A Força do Querer’. Não uma nem duas, várias vezes. O telespectador tem sido presenteado com grandes momentos de personagens secundários.

O que escrever a respeito de Elizângela? Ela brilha a cada cena com Juliana Paes (Bibi) e o excelente João Bravo (Dedé). Sua Aurora é ao mesmo tempo uma referência de racionalidade e a representação da passionalidade materna.

Elizângela, Cláudia Mello e Luci Pereira: bons personagens para atrizes na maturidade artística
Elizângela, Cláudia Mello e Luci Pereira: bons personagens para atrizes na maturidade artística
Foto: : Divulgação/TV Globo

A atriz transmite a preocupação e a dor de um mãe que testemunha a derrocada moral da filha. Tenta protegê-la do pior enquanto procura resguardar a própria dignidade – quase uma escolha de Sofia: deixar Bibi se afundar sozinha ou abraçá-la e ruir junto em nome do amor incondicional?

Elizângela, 62 anos, que na juventude foi uma estrela tão badalada quanto Juliana Paes, ganhou um papel à altura de sua força dramatúrgica, após anos e anos vivendo tipos pouco lembrados pelos noveleiros.

No mesmo folhetim, Zu é uma governanta. Na prática, usa seu inesgotável bom senso para não deixar desmoronar um clã problemático.

Cláudia Mello, com aquele inconfundível registro vocal tranquilizante, materna personagens à beira de um ataque de nervos, como Joyce (Maria Fernanda Cândido) e Ivana (Carol Duarte).

A atriz, de 67 anos, tem aquele jeito de mãezona postiça. Desperta no público uma imediata simpatia. E retrata uma realidade cruel: milhões de Zus abrem mão da própria individualidade para viver a vida dos patrões. Seus problemas acabam ofuscados pelos conflitos – às vezes mesquinhos – de quem lhe paga o salário.

Igualmente acolhedora é Nazaré, a festeira personagem de Luci Pereira, 57 anos. Criou o sobrinho Zeca (Marco Pigossi) como filho. Ela forma uma divertida ‘dupla de prosa’ com Abel (Tonico Pereira).

Espirituosa e arisca, a dona de bar sempre solta um comentário ‘arretado’ ou um conselho sábio. Representa bem a essência da mulher do Norte e Nordeste, poucas vezes representada de maneira tão leve – ou seja, sem clichês – na teledramaturgia.

E assim, de maneira despretensiosa, baseada exclusivamente na experiência e no carisma, essas três artistas atraem os holofotes quando surgem em cena. Valorizam o texto de Gloria Perez e a interpretação dos colegas de cena.

Prazeroso vê-las dando aula de atuação todas as noites.
 

Veja também:

Thais Fersoza conta rotina com Melinda e Teodoro: 'Sinfonia de choro'. Vídeo!:
Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade