0

Três vazamentos de cenas sensuais que enfureceram a Globo

Superexposição do corpo de atrizes fez a emissora rever a segurança em suas gravações

15 mai 2020
11h49
atualizado às 11h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Vivemos a era das invasões e dos vazamentos. Não apenas na política, mas também nas emissoras de TV, especialmente na Globo. Vídeos e áudios captados clandestinamente em estúdios de novelas e do jornalismo revelaram cenas sigilosas e conversas reservadas.

Bruna Marquezine e Daniel de Oliveira na cena vazada e posteriormente exibida na minissérie Nada Será Como Antes
Bruna Marquezine e Daniel de Oliveira na cena vazada e posteriormente exibida na minissérie Nada Será Como Antes
Foto: Reprodução

O material vazado a sites de notícias, blogs de fofocas e nas redes sociais — por mera satisfação sádica de espalhar o conteúdo bombástico ou, às vezes, sob recompensa financeira de quem paga por notícia — gera repercussão imediata e a revolta dos prejudicados. A Globo registrou três episódios traumáticos de vazamento.

Em outubro de 2016, cena de sexo entre os personagens de Bruna Marquezine e Daniel de Oliveira na minissérie Nada Será como Antes foi divulgada na internet e imediatamente viralizou em redes sociais. Na sequência, a atriz ficava com os seios à mostra e era acariciada pelo colega de elenco. A emissora reagiu rápido: conseguiu que vários sites excluíssem o vídeo e os gifs criados. Investigação interna tentou descobrir a identidade de quem vulgarizou o material.

Menos de um ano depois daquela situação constrangedora, a Globo sofreu novo abalo interno por outro vazamento estrondoso. A gravação de uma cena de sexo em cima de uma caminhonete envolvendo Grazi Massafera e Rafael Cardoso, para a novela O Outro Lado do Paraíso, foi registrada por um fotógrafo amador na área rural de Palmas, no Tocantins.

A imagem teve forte impacto na web. Grazi manifestou extremo desconforto com a superexposição online. O canal decidiu não exibir a sequência ao ar livre. A cena foi regravada em estúdio. Depois disso, a cúpula da emissora impôs protocolos mais rígidos para a proteção da privacidade dos atores nas gravações externas.

Paolla Oliveira se tornou outra vítima de vazamento. Em 2018, a atriz foi indevidamente fotografada usando lingerie e também só de sutiã ao gravar cenas da minissérie Assédio. Um funcionário da equipe técnica fez os cliques e jogou na internet. Ele acabou denunciado à Justiça. Algumas pessoas tentaram convencer a artista a perdoar o tal homem. Paolla disse que ele deveria responder por seus atos e manteve o processo.

Paolla Oliveira em cena de Assédio ao lado de Antônio Calloni: um funcionário da Globo expôs a seminudez da atriz na web
Paolla Oliveira em cena de Assédio ao lado de Antônio Calloni: um funcionário da Globo expôs a seminudez da atriz na web
Foto: Divulgação

A Constituição e o Código Civil garantem a preservação da imagem e da honra das pessoas. Divulgar cena de sexo ou nudez se tornou crime tipificado no art. 218-C do Código Penal. Quem se apropria de imagens, ainda que seja de uma produção de TV, e promove o vazamento do material pode responder a inquérito, ser denunciado e julgado. Além do risco da pena de detenção, poderá ainda ter de pagar indenização por danos morais.

Veja também:

Editor do L! analisa retorno de Fred ao Fluminense
Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade