PUBLICIDADE

Polícia intima Carla Diaz como vítima de racismo no BBB 21: "Racismo reverso não existe"

8 abr 2021
18h40 atualizado às 21h46
0comentários
18h40 atualizado às 21h46
Publicidade
Foto: Divulgação/Globo / Pipoca Moderna

A atriz Carla Diaz revelou nas redes sociais, nesta quinta-feira (8/4), que foi intimada como vítima de racismo dentro do reality show "BBB 21" pela Delegacia de Crimes Raciais (Decradi). Ela foi procurada pela polícia dias após a Decradi abrir uma investigação sobre racismo do cantor Rodolffo Mathaus. Mas sua intimação teria como alvo Lumena Aleluia, que se referiu várias vezes à branquitude de Carla durante o confinamento.

Detalhe: racismo reverso (ou simplesmente "racismo contra brancos") não existe (como diz Camilla de Lucas, procurem no Google) e a própria Carla Diaz foi rápida em apontar a cilada.

"Eu vim falar de uma coisa muito chata, mas quero que vocês saibam por mim. Essa semana eu fui surpreendida por um policial da Delegacia de Crimes Raciais. Sim, bateram na minha porta. Levei um susto porque alguém pediu para a delegacia abrir um inquérito e eu vou precisar prestar esclarecimentos de preconceito racial, como se eu fosse a vítima. Como se eu tivesse sido vítima. Acho isso tudo um absurdo, meu advogado está vendo tudo e assim que eu tiver eu aviso vocês", disse ela, nas redes.

"Acho importante lembrar que racismo reverso não existe. Vamos ler, nos informar, o programa debateu racismo. Tô muito chateada com essa situação. Usaram meu nome sem o meu conhecimento para me colocar nessa situação", finalizou a atriz.

Como apontou Carla, o apresentador Thiago Leifer abordou o caso de Rodolffo, que comparou o cabelo afro do confinado João Luiz Pedrosa com uma peruca de homem das cavernas, de forma didática, clara e inequívoca durante o episódio da noite de terça (6/4), um dos mais importantes da história do programa. A piada original de Rodolffo originou uma investigação do Decradi, que pode ter incorporado ao caso queixas de "racismo reverso" - que vai na contramão de tudo o que se discutiu.

Vale lembrar que em fevereiro deste ano, quando o programa ainda estava no começo, o deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ), que faz parte do grupo de extrema direita contrário a cotas raciais nas faculdades, apresentou uma notícia-crime contra a então participante Lumena por comentários feitos contra Carla, acusando a psicóloga baiana de cometer "racismo". Na mesma época, o vereador Thammy Miranda (PL-SP) também publicou um ofício em suas redes sociais defendendo que as falas de Lumena contra Carla Diaz fossem investigadas.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade