PUBLICIDADE

Pai admite que modelo pilotava moto em alta velocidade: "Fatalidade"

Bruno Krupp está sob custódia após atropelar e matar adolescente de 16 anos no último sábado, 30, no Rio de Janeiro

3 ago 2022 - 17h49
(atualizado às 19h06)
Ver comentários
Publicidade
O modelo Bruno Krupp atropelou e matou um jovem de 16 anos na noite de sábado (30) no Rio de Janeiro
O modelo Bruno Krupp atropelou e matou um jovem de 16 anos na noite de sábado (30) no Rio de Janeiro
Foto: Divulgação

O modelo Bruno Fernandes Moreira Krupp, de 25 anos, pilotava a aproximadamente 100 km/h quando atropelou e matou um adolescente de 16 anos na região da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, no sábado, 30. A estimativa foi feita pelo próprio influenciador, segundo revelou seu pai em entrevista ao jornal O Globo

"Meu filho acredita que dirigia a aproximadamente 100 quilômetros por hora, quando a vítima saiu atravessou para o meio da rua, fora da faixa de pedestres, e voltou, sendo a batida inevitável. Mas posso garantir que em momento algum ele se furtou a responder pelos seus atos, não fugindo do local nem se esquivando de prestar qualquer tipo de esclarecimento", disse José Darcy Krupp Filho. 

Ele ainda afirmou ao jornal que se solidariza com a dor da família da vítima e está à inteira disposição para ajudar no que for necessário.

"Infelizmente, aconteceu um acidente, uma fatalidade", acrescentou. 

Bruno Krupp segue internado, sem previsão de alta, no Hospital Marcos Morais, no Méier. Ele teve a prisão preventiva decretada nesta quarta-feira, 3. Na decisão, a juíza Maria Isabel Pena Pieranti afirmou que o modelo "não é um novato nas cenas do crime" e mencionou que ele  já foi parado por agentes da Lei Seca três dias antes do acidente.

O ex-namorado de Sarah Pôncio é investigado por homicídio doloso, por pilotar acima do limite de velocidade permitido, de 60 km/h, e não possuir habilitação. O adolescente de 16 anos teve a perna amputada com o impacto e chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu e morreu. Bruno Krupp também tem outras passagens policiais por estupro e estelionato

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade