PUBLICIDADE

No Sul, Pedro Scooby relata drama para resgatar vítimas: 'Vi gente morta'

Segundo ele, a rotina tem sido de pouco sono, de muito trabalho e de consultas frequentes para evitar contaminações

10 mai 2024 - 08h49
(atualizado às 08h57)
Compartilhar
Exibir comentários
Pedro Scooby, surfista
Pedro Scooby, surfista
Foto: @instagram

O surfista Pedro Scooby, de 35 anos, comentou na madrugada desta sexta-feira, 9, os desafios que ele e seu grupo de amigos estão enfrentando para ajudar nos resgates no Rio Grande do Sul. O atleta viajou ao Sul do País há uma semana para ajudar as pessoas e animais ilhados pelas fortes chuvas na região. 

Segundo ele, a rotina tem sido de pouco sono, de muito trabalho e de consultas frequentes com Gustavo Nogueira. O rapaz é médico e encontrou a comitiva de Scooby em Curitiba, no Paraná, Como os resgates são feitos com motos aquáticas, geralmente em águas contaminadas, ele auxilia nos primeiros socorros e medica sobreviventes e voluntários para evitar contaminações, como a leptospirose, que pode ser grave. 

"Ele [Gustavo Nogueira] encontrou com a gente [em Curitiba], mandou uns sacos de remédio, deu os remédios para a gente contra leptospirose. A água que a gente entra tem bicho morto, já passou gente morta, milhões de bactérias. Meu pé está cheio de perebas por sinal", relatou Scooby, no Instagram.

Ele também comentou que o médico conseguiu uma doação de 300 toneladas de mantimentos para as vítimas e orientou que os fãs também doem água, alimentos, itens de vestuário e produtos de higiene.

Pedro Scooby: o pai de família

Pedro Scooby e Cintia Dicker
Pedro Scooby e Cintia Dicker
Foto: @instagram

O ex-BBB e surfista aproveitou para agreceder a esposa, Cintia Dicker, de 37 anos, que está em casa cuidando das crianças, principalmente em meio a uma troca de farpas com sua ex-mulher, Luana Piovani.

"Minha esposa, nem sabia que ela estava fazendo, porque estou alienado, dormi menos de 10 horas nos últimos cinco dias, estou passando o dia inteiro na água. Em menos de 48 horas, ela juntou dois caminhões de mantimentos aqui para o Sul, que é a terra dela, mas, mesmo eu estando aqui, ela não parou e ainda está cuidando do Dom e da Aurora. Não tenho palavras, você é demais, te amo", se declarou.

Saiba como ajudar as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul Saiba como ajudar as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade