PUBLICIDADE

'Não vou continuar a mesma pessoa', desabafa Nadja Haddad sobre morte de um dos filhos gêmeos

Antônio morreu no dia 11 de maio, véspera do Dia das Mães, após nascer prematuro

18 mai 2024 - 17h16
(atualizado às 18h15)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
A apresentadora Nadja Haddad e seu marido, o político Danilo Joan, sofrem com o luto após a morte do filho gêmeo prematuro, Antônio, e acompanham a recuperação do outro gêmeo, José, que continua internado na UTI da Maternidade Pro-Matre Paulista, em São Paulo.
Foto: Redes Sociais

A apresentadora Nadja Haddad usou as redes sociais neste sábado, 18, para falar sobre o luto após a perda de um dos filhos gêmeos, Antônio, nascido em 25 de abril. Ele faleceu na véspera do Dia das Mães, após nascer prematuro e passar semanas internado na UTI neonatal da Maternidade Pro-Matre Paulista, em São Paulo.

Nadja Haddad e seu marido, o político Danilo Joan, continuam cuidando do outro gêmeo, José, que permanece na UTI neonatal.  Por meio dos Stories do Instagram, ela compartilhou seu desabafo sobre o luto, destacando a esperança na recuperação do filho que ainda luta pela vida.

"Agora que eu estou conseguindo sair um pouco daquela atmosfera de tanta dor. Ontem foi o primeiro dia que eu não chorei tanto, só chorei um pouco antes de dormir. Eu sei como a gente está se sustentando: a gente está se sustentando pela fé mesmo. Muita gente tem comentado que a gente acaba fortalecendo quem está do lado. Eu sempre falei para vocês que eu escolhi confiar. E mesmo diante de tanta dor, a gente jamais blasfemaria. Claro que dentro do luto, a gente questiona, a gente sente raiva, a gente não entende, mas, no final das contas, quando a gente tem essa ligação com o plano espiritual, a gente passa a entender tão claramente o porquê das coisas”, disse ela.

"Claro que não vou entrar em detalhes com vocês porque são coisas íntimas, mas o Antônio, em tão pouco tempo, conseguiu mudanças, transformações, restaurações, que há 20 anos não víamos. Ele cumpriu a missão dele, mas é uma dor que eu não desejo a ninguém. É um vazio, é um… Eu realmente não sei se vou continuar sendo a mesma pessoa. Aliás, eu não vou continuar sendo a mesma pessoa, não tem como. Diante de tantas mudanças, mas em especial diante da dor. Parte de mim morreu, parte do Dan eu sei que também se foi. Parte de mim já tinha ido com meu pai, agora, realmente é entregar nas mãos de Deus e deixar que ele refaça, que venha tudo novo”, completou.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade