PUBLICIDADE

Após "Eduardo e Mônica", outra música de Renato Russo vai virar filme

Revelação foi feita pelo diretor René Sampaio, que também dirigiu a adaptação de "Faroeste Cabloco"

16 jan 2022 16h47
ver comentários
Publicidade
O longa estreia nos cinemas dia 20 de janeiro, após atrasos devido a pandemia do coronavírus
O longa estreia nos cinemas dia 20 de janeiro, após atrasos devido a pandemia do coronavírus
Foto: Instagram/@leonegabriel / Famosos e Celebridades

Uma das principais estreias nacionais nos cinemas em 2022 é "Eduardo e Mônica". O filme retrata a história contada na canção eternizada do mesmo nome, escrita por Renato Russo, do Legião Urbana. Alice Braga e Gabriel Leone dão vida ao casal da letra, com uma interpretação bastante caricata aos personagens. 

Com a direção de René Sampaio, o longa entra em cartaz no dia 20 de janeiro e deve atrair os fãs da banda para as salas de cinema. Durante a promoção do filme, os protagonistas e o diretor foram entrevistados pela jornalista Renata Boldrini.

Quando perguntado sobre projetos futuros, René, que já está virando especialista em adaptar músicas para as telas, revelou que outra letra de Renato Russo ganhará filme. Vale dizer que o diretor também foi responsável por comandar a produção da adaptação de "Faroeste Cabloco", outra canção do vocalista do Legião Urbana, de 2015. A próxima música a ganhar uma versão para os cinemas ainda é mantida em sigilo.

Transformar a canção em filme foi desafiador

Fazer com que a canção de 4m32 se tornasse um filme de quase duas horas exigiu algumas licenças poéticas além do que escreveu Renato Russo. "Não é muito simples. A música é muito centrada nas diferenças dos dois, mas possui saltos temporais. Entender o que aconteceu do momento em que eles se conheceram até quando começaram a namorar e reproduzir isso foi delicioso. Tínhamos as pistas sobre o relacionamento deles, mas faltava esse meio, construir esse recheio", contou Gabriel Leone.

Alice Braga destacou a complexidade de criar essa relação entre os dois. Tão diferentes não só na personalidade, mas também na idade. "Foi preciso criar uma espinha dorsal de cada um deles e entender como ser possível essa mulher se apaixonar por um garoto e como seria essa jornada", disse.

O diretor complementa que um dos maiores desafios do filme era reproduzir nos cinemas em quase duas horas aquilo que a música de Renato Russo dava a entender em 4m32: que o amor entre os dois era verdadeiro.

Assista a entrevista completa:

Famosos e Celebridades
Publicidade
Publicidade