PUBLICIDADE

'Belo Desastre: O Casamento' abraça o nonsense romântico e diverte sem medo do ridículo

Segundo filme da franquia, com Virginia Gardner e Dylan Sprouse, bebe da fonte de longas como 'American Pie' e 'Superbad' e lança um novo olhar para o besteirol adolescente

17 mai 2024 - 22h10
Compartilhar
Exibir comentários

Adolescentes, quando estão vivendo um romance, pensam que aquela paixão é o amor de uma vida inteira - tudo é sobre aquilo e qualquer coisa no caminho contrário parece estar operando contra a felicidade do casal. É ridículo - o amor, enfim, tende a ser brega.

Por isso, é desconfortável quando filmes como After contam histórias assim como se fossem verdadeiras odisseias shakespearianas. E é divertido quando filmes como Belo Desastre: O Casamento, baseado em livro e que chegou aos cinemas nesta quinta, 16, mandam a seriedade às favas e abraçam o besteirol sem qualquer vergonha.

Dirigido e roteirizado por Roger Kumble, o longa-metragem é o segundo capítulo desta franquia adolescente romântica, que chegou aos cinemas na esteira do sucesso de After, esse "primo" que se acha mais importante do que é. No primeiro filme, já havia um tom de ridículo permeando a história de Abby (Virginia Gardner) e Travis (Dylan Sprouse).

Ela é toda certinha, ele é o bad boy que participa de lutas clandestinas - mas os dois, é claro, seguem os padrões de beleza dos Estados Unidos. Depois de um início de romance conturbado no primeiro filme, neste segundo eles já começam a história casados (como já indicavam os créditos do longa anterior) e vivendo uma estranha rotina no México.

A grande questão é: como esse casal, tão cheio de diferenças, vai conseguir suportar uma vida a dois? É isso que Abby e Travis tentam entender ao longo de Belo Desastre: O Casamento, filme que mostra as diferentes trapalhadas dos dois - e, é claro, também a química inegável que existe entre eles.

Belo Desastre: O Casamento: um novo olhar para o besteirol

Agora, porém, Kumble eleva o tom de ridículo ao máximo. Enquanto o primeiro filme adotava esse tipo de humor como uma espécie de escudo contra os erros grosseiros que existem no livro, como a falta de coesão na jornada dos personagens e até uma espécie de naturalização de abuso, este novo adota o humor de besteirol como seu atrativo principal e talvez, até mesmo, único. Tudo é exagerado e brega, como são os amores juvenis.

São cenas que variam em intensidade, como pequenas observações absurdas (como o momento em que uma mulher diz que é "melhor comprar crianças do que adotar") até a sequência em que um amigo de Travis precisa se despedir da avó, durante uma ligação no telefone, enquanto galos de briga mantém o jovem como refém. Sim, é isso mesmo.

Belo Desastre: O Casamento deixa o romance de lado, usufruindo do amor já instituído no filme anterior, para explorar ao máximo o humor que surge dessa situação que, todos nós, do outro lado da tela, sabemos ser impossível de ter um "felizes para sempre". É aí que Kumble deixa de lado a experiência em romances (de After) para abraçar o nonsense romântico, já trabalhada por ele em Tudo para Ficar com Ele e no bom Apenas Amigos.

Obviamente, é difícil dizer que o filme é realmente bom: falta cadência para a história, que adota um tom episódico cansativo; há exagero nos estereótipos mexicanos, indo muito além daquele cansativo filtro amarelo; e falta consciência de como inserir alguns elementos gráficos na história, envolvendo um desenho de um pênis com rosto na tela, causando uma certa vergonha alheia que nem mesmo a cena de galos de briga conseguiu causar.

Ainda assim, ao abraçar o besteirol sem vergonha, Belo Desastre: O Casamento faz rir. Bebe da fonte de filmes como American Pie e Superbad, deixando de lado histórias de amigos fazendo besteira para rir dos romances adolescentes que são, por si só, divertidos para quem olha de longe. Só os fãs do livro, normalmente adolescentes que levam essas histórias a sério, é que devem se frustrar com mais pessoas rindo dos amores impossíveis.

Abby (Virginia Gardner) e Travis (Dylan Sprouse) em 'Belo Desastre: O Casamento'.
Abby (Virginia Gardner) e Travis (Dylan Sprouse) em 'Belo Desastre: O Casamento'.
Foto: 2023 Voltage Pictures/Divulgação / Estadão
Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade