PUBLICIDADE
AO VIVO
Terraiá ao vivo: assista ao show do Forró da Gota direto de Salvador

"Andora", de Sean Baker, vence a Palma de Ouro do Festival de Cannes

O evento francês também premiou os favoritos "Emilia Perez", "The Substance", "Tipos de Gentileza" e o iraniano "The Seed of the Sacred Fig"

25 mai 2024 - 15h44
(atualizado às 15h50)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Divulgação/Neon / Pipoca Moderna

Após duas semanas de premières, o filme premiado com a Palma de Ouro foi o americano "Andora", de Sean Baker. O júri presidido pela cineasta Greta Gerwig ("Barbie") anunciou os vencedores do 77º Festival de Cinema de Cannes neste sábado (25/5), numa cerimônia de gala na Riviera Francesa.

Sean Baker é o primeiro cineasta americano a conquistar o prêmio principal do festival desde que Terrence Malick ganhou a Palma de Ouro por "A Árvore da Vida" em 2011. "Anora" foi seu terceiro filmea estrear em Cannes, depois de "Projeto Flórida" (2017) e "Red Rocket" (2021). O romance turbulento, que chegou a ser comparado a "Uma Linda Mulher" (1990), segue a história de Anora (Mikey Madison), uma jovem trabalhadora sexual de Brooklyn, que vive um conto de fadas moderno ao conhecer e se casar impulsivamente com o filho obscenamente rico de um oligarca russo (interpretado por Mark Eydelshteyn). No entanto, quando a notícia chega à Rússia, a situação se complica, pois os pais do jovem partem para Nova York com a intenção de anular o casamento, ameaçando o conto de fadas de Anora.

Conhecido por seu trabalho com personagens marginais e contextos sociais complexos, Baker dedicou o prémio a "todas as trabalhadoras do sexo, do passado, do presente e do futuro". Em seu discurso de agradecimento, ele também destacou a importância de "fazer filmes destinados à exibição cinematográfica". "O mundo precisa ser lembrado de que assistir a um filme em casa, enquanto navega pelo telefone… não é o caminho. Assistir a um filme com outras pessoas no cinema é uma das grandes experiências comunitárias. Por isso digo que o futuro do cinema está onde começou: numa sala de cinema", afirmou o cineasta, cujo primeiro filme, "Tangerine" (2015), foi filmado com um iPhone.

Outras categorias

Os atores premiados também foram americanos. Jesse Plemmons ganhou o prêmio de Melhor Ator por seu papel em "Tipos de Gentileza", de Yorgos Lanthimos, enquanto o prêmio de Melhor Atriz foi divido pelo elenco feminino de "Emília Pérez", contemplando Zoë Saldaña, Selena Gomez, a mexicana Adriana Paz e a espanhola Karla Sofía Gascón, que se tornou a primeira atriz trans a vencer em Cannes. Um dos filmes favoritos da crítica na programação do festival, "Emilia Pérez" também recebeu o Prêmio do Júri.

O Grande Prêmio do Júri, apresentado de surpresa por Viola Davis, foi entregue para "All We Imagine As Light", de Payal Kapadia, o primeiro filme indiano a ser exibido na competição de Cannes desde 1994.

Filme mais aplaudido do evento, o melodrama político iraniano "The Seed of the Sacred Fig", do diretor Mohammad Rasoulof, que fugiu do Irã de forma clandestina para acompanhar a exibição, recebeu um Prêmio Especial do Júri.

Outro favorito da crítica, "The Substance", da francesa Coralie Fargeat, venceu o troféu de Melhor Roteiro, enquanto o português Miguel Gomes foi consagrado como Melhor Diretor por "Grand Tour".

Prêmios paralelos

Pelo segundo ano consecutivo, o prémio Olho de Ouro (L'Oeil d'Or) de Melhor Documentário foi partilhado por dois filmes: "Ernest Cole: Lost and Found", dirigido por Raoul Peck, e "The Brink of Dreams", dirigido por Ayman El Amir e Nada Riyadh.

O filme de Peck centra-se no fotógrafo sul-africano que documentou a vida da população negra oprimida do seu país sob o apartheid. O ator LaKeith Stanfield dá voz aos escritos do falecido artista no filme. Já "The Brink of Dreams" é ambientado no Egito natal dos diretores e registra o cotidiano de uma aldeia, seguindo os passos de um pequeno grupo de garotas que se rebelam, desafiando suas famílias e as tradições patriarcais para formar uma trupe de teatro de rua.

Para completar, a mostra paralela mais importante do festival, Um Certo Olhar (Un Certain Regard), foi vencida pelo longa chinês "Black Dog", de Guan Hu. A trama acompanha um homem que, após sair da prisão, arranja emprego na patrulha canina, contratado para eliminar cães vira-lata antes do início dos Jogos Olímpicos de 2022. Entretanto, ele estabelece uma conexão improvável com um cachorro.

Premiação oficial

PALMA DE OURO

"Anora", de Sean Baker

GRANDE PRÊMIO DO JÚRI

"All We Imagine As Light", Payal Kapadia

PRÊMIO DO JÚRI

"Emilia Pérez", de Jacques Audiard

MELHOR DIRETOR

Miguel Gomez, por "Grand Tour"

MELHOR ROTEIRO

Coralie Fargeat, por "The Substance"

MELHOR ATRIZ

Adriana Paz, Zoe Saldaña, Karla Sofía Gascón e Selena Gomez, por "Emilia Pérez"

MELHOR ATOR

Jesse Plemons, por "Tipos de Gentileza"

PRÊMIO ESPECIAL

Mohammad Rasoulof, por "The Seed of the Sacred Fig"

PALMA DE OURO HONORÁRIA

George Lucas

CAMERA DE OURO DE MELHOR PRIMEIRO FILME

"Armand", de Halfdan Ullman Tondel

PALMA DE OURO DE MELHOR CURTA-METRAGEM

"The Man Who Could Not Remain Silent", de Nebojša Slijepčević

MENÇÃO ESPECIAL EM CURTA-METRAGEM

"Mau por um Momento", de Daniel Soares

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade