PUBLICIDADE

Coppola explica nova versão de 'O Poderoso Chefão' na CCXP: 'é como estar mais na mente do criador'

Filme ganhará restauração incluindo tecnologias modernas em 2022, ano que marca 50º aniversário do longa; painel da Paramount também deu detalhes sobre próximo 'Pânico'

4 dez 2021 21h56
ver comentários
Publicidade

O diretor Francis Ford Coppola falou sobre sua carreira e deu detalhes da nova versão remasterizada da trilogia O Poderoso Chefão durante o painel da Paramount na CCXP Worlds 21 na noite deste sábado, 4. No evento, a produtora ainda trouxe uma conversa com Courteney Cox e Neve Campbell, atrizes da nova versão do terror Pânico, que também ganhará mais um longa.

A ideia é que o resultado final chegue aos cinemas e às plataformas digitais a partir de 2022, quando a estreia do primeiro longa completa 50 anos (foi lançado em 14 de março de 1972). Questionado se pretende fazer alterações significativas, assim como fizeram George Lucas com Star Wars [em cena com o alienígena Greedo, Han Solo deixou de disparar primeiro a arma em uma das versões recentes] e Steven Spielberg com E.T. [com a retirada de fuzis em algumas cenas], por exemplo, Coppola respondeu que não.

"Sou conhecido por mudar os filmes que fiz ao longo do tempo, mas eu não toquei no Poderoso Chefão porque senti que era o filme que eu quis fazer com a maravilhosa colaboração dos meus dois editores e do Walter Murch, que me ajudou com o som. O Poderoso Chefão 2 eu posso questionar algumas decisões, mas estou muito satisfeito com ele. No terceiro, eu mudei substancialmente. Mas não pretendo tocar em nenhum dos dois primeiros filmes", afirmou.

Francis Ford Coppola participou do painel da Paramount durante a CCXP Worlds 21, realizada no Brasil entre os dias 4 e 5 de dezembro de 2021
Francis Ford Coppola participou do painel da Paramount durante a CCXP Worlds 21, realizada no Brasil entre os dias 4 e 5 de dezembro de 2021
Foto: Reprodução de Painel da Paramount na CCXP Worlds 21 (2021) / Estadão

"Quando estava fazendo o primeiro Poderoso Chefão foi uma experiência problemática para mim. Estava claramente fazendo algo novo, porque as pessoas até hoje assistem, mas, na época, quando se fazia coisas novas, estava indo contra o que sua empresa desejava. Eu era contratado para fazer algo que eles esperavam. E O Poderoso Chefão não era o que esperavam. Eu tinha sofrido muita lavagem cerebral por parte dos produtores que representavam o filme, foi terrível. Eu estava prestes a ser demitido, esperava que isso acontecesse. Se me dissessem que as pessoas achariam o filme bom, eu ficaria chocado"

Sobre a necessidade de remasterização, defendeu: "Todos os filmes ou gravações digitais têm um período de vida útil. Entretanto, a cada geração, aprendem a melhorar o método, então podemos trabalhar com [tecnologia] 4K ou 8K, coisas que não estavam disponíveis há 10 anos. A restauração desses filmes é como se estivéssemos mais na mente dos criadores".

Questionado se pensa em uma idade mínima para assistir e aproveitar a trilogia, respondeu que aos "14 anos, [uma pessoa] poderia ser capaz de apreciar um drama humano como esse".

Por fim, Coppola fez uma reflexão sobre a ousadia e inovação no mundo do cinema: "A razão pelo qual nos dão Prêmios Pelo Conjunto da Obra é a mesma razão pela qual te demitem. Quando terminei O Poderoso Chefão 2, estava no meu auge, era jovem, havia feito dois filmes que fizeram muito sucesso. Eu havia vencido as maiores premiações que existiam, tinha ganho cinco prêmios Oscar e, ainda assim, no ano seguinte, quando tentei emplacar Apocalypse Now, ninguém queria fazer. Este filme me pertence porque eu fui o único que o queria".

Novo 'Pânico'

O novo Pânico, com estreia prevista para 13 de janeiro de 2022, terá parte do elenco original e também novos atores que serão vítimas do mascarado Ghostface - personagem que virou ícone do mundo do terror e é replicado frequentemente em fantasias e paródias até hoje. Na CCXP, houve o lançamento mundial de pôsteres do longa e uma entrevista com Neve Campbell e Courtney Cox, integrantes do elenco original que estão de volta em 13 de janeiro de 2021.

"Não é uma sequência. Eu nem sei explicar. É um relançamento. Ele pega o melhor do primeiro Pânico e de todos os outros, mas é algo aprimorado, novo, original. Mais sangrento e assustador, porque conforme o mundo muda, nada nos assusta mais", explicou Courtney.

A dupla ainda comentou sobre como ficou sabendo que a primeira versão, de 1996, foi um sucesso. Neve contou que, à época, ainda não tinha noções de bilheteria, e quando soube das altas cifras arrecadadas, não sabia se era uma boa ou má notícia. Já sua colega ressaltou: "Sabíamos que o filme seria diferente porque quando a heroína, interpretada por Drew Barrymore, morre nos primeiros treze minutos de filme, você sabe que vem algo especial".

Sobre o novo Pânico, Courteney Cox ainda concluiu: "Nós filmamos na Carolina do Norte [estado dos Estados Unidos]. Foi bacana ter a oportunidade de trabalhar durante a pandemia. Mas voltar para nossos personagens, e imaginá-los voltando, a forma como eles [a produção] construíram os sets idênticos aos originais, foi de tirar o fôlego, nostálgico."

Os atores Melissa Barrera, Jasmin Savoy Brown, Jack Quaid, Dylan Minnete, Sonia Ammar e Mikey Madison ainda responderam a algumas perguntas enviadas pelos fãs a respeito do que pensam sobre o novo filme da franquia.

Estadão
Publicidade
Publicidade