PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Contas de Carla Zambelli nas redes sociais são removidas

Decisão do TSE foi motivada por postagens de apoio a caminhoneiros bolsonaristas que obstruem estradas pelo país

1 nov 2022 - 19h58
(atualizado em 4/11/2022 às 11h40)
Compartilhar
Exibir comentários

As contas da deputada federal Carla Zambeli (PL-SP) no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, Telegram, TikTok, LinkedIn e Gettr foram suspensas nesta terça-feira (1º.nov.2022).

Contas de Carla Zambelli nas redes sociais são removidas
Contas de Carla Zambelli nas redes sociais são removidas
Foto: Núcleo Jornalismo

Ao tentar acessar o perfil da deputada no Twitter, há um aviso da remoção após decisão judicial.

Segundo a coluna da jornalista Malu Gaspar, no jornal O Globo, que obteve a íntegra da decisão sigilosa do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), as postagens em apoio à obstrução de estradas por caminhoneiros poderiam "tumultuar o processo eleitoral" e incentivar "comportamentos ilegais e beligerantes".

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter
Foto: Núcleo Jornalismo

Zambelli, que já era investigada por atos antidemocráticos, postou mensagens parabenizando os caminhoneiros pelas paralisações na segunda-feira (31.out).

A ação que determinou a remoção do perfil da deputada é resultado de um mapeamento feito pela Assessoria Especial de Enfrentamento à Desinformação do TSE, segundo O Globo.

O departamento argumenta que as postagens de Zambelli "atingem a integridade e a normalidade do processo eleitoral, incentivando, com base em falsas acusações de fraude, a recusa dos resultados e intervenção militar".

Desde domingo (30.out), o Tribunal tem determinado a remoção de uma série de links, perfis, sites e grupos do Telegram que compartilham fake news e desinformação.

Em nota à imprensa, a assessoria de imprensa da deputada informou que "aos poucos, Alexandre de Moraes constrói um código de inibições para impor um modelo único e vigente de comportamento nas redes. O próximo passo é a prisão dos opositores, como já visto em diversos regimes de esquerda na América Latina.  A democracia brasileira foi para o ralo."

Edição Sérgio Spagnuolo
Núcleo Jornalismo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade