PUBLICIDADE

Destaque da NASA: buraco negro distante é a foto astronômica do dia

A foto destacada pela NASA hoje traz a galáxia UHZ1, na direção do aglomerado galáctico Abell 2744. Ela abriga um buraco negro supermassivo em crescimento

10 nov 2023 - 15h13
(atualizado às 17h25)
Compartilhar
Exibir comentários

A foto astronômica destacada pela NASA hoje traz Abell 2744, um aglomerado de galáxias massivo dominado pela matéria escura. A nova imagem combina dados dos telescópios James Webb e Chandra, e revela ainda o buraco negro mais distante já observado em raios X.

Também conhecido como Aglomerado de Pandora, Abell 2744 fica a cerca de 3,5 bilhões de anos-luz de nós na constelação Sculptor, o Escultor. Ele é tão massivo que formou uma lente gravitacional, uma distorção no tecido do espaço-tempo que amplia a luz de objetos ao fundo.

Galáxia UHZ1 e seu buraco negro(Imagem: Reprodução/NASA/CXC/SAO/Ákos Bogdán/ESA/CSA/STScI/CXC/SAO/L. Frattare & K. Arcand)
Galáxia UHZ1 e seu buraco negro(Imagem: Reprodução/NASA/CXC/SAO/Ákos Bogdán/ESA/CSA/STScI/CXC/SAO/L. Frattare & K. Arcand)
Foto: Canaltech

Foi assim que astrônomos descobriram a galáxia UHZ1 a 13,2 bilhões de anos-luz de distância; portanto, nós a vemos como era quando o universo tinha apenas 3% de sua idade atual.

A galáxia aparece indicada na foto, combinando dados das observações de raios X e luz infravermelha, feitas pelo Chandra e James Webb, respectivamente. Os dados revelaram a presença de um buraco negro supermassivo em crescimento no centro da galáxia.

O buraco negro mais distante já visto

As observações dos telescópios mostraram que o buraco negro ali se formou apenas 470 milhões de anos após o Big Bang. Ele está em uma etapa inicial do seu processo evolutivo nunca vista antes, e tem massa semelhante à da sua galáxia.

A descoberta vai ajudar os cientistas a entenderem como os buracos negros podem se tornar tão massivos em um espaço de tempo curto após o Big Bang. No caso deste objeto, as evidências indicam que ele já era bastante massivo quando se formou.

Além do buraco negro ser massivo e jovem, os raios X produzidos pelos gases ao redor dele e o brilho da galáxia são favoráveis às previsões teóricas feitas por um estudo em 2017, que apontava que buracos negros do tipo nascem do colapso de grandes nuvens gasosas.

Fonte: APOD

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade