PUBLICIDADE

7 motivos para comprar ou não o Redmi Note 13 5G

Canaltech separa 4 razões para comprar e 3 motivos para não comprar o celular Redmi Note 13 5G, da Xiaomi

25 mai 2024 - 01h03
(atualizado às 17h54)
Compartilhar
Exibir comentários

O Redmi Note 13 5G é um dos melhores custo-benefício da Xiaomi atualmente. Na faixa dos R$ 1.000, o celular oferece uma boa experiência em quase todos os aspectos. O Canaltech juntou 4 razões para você comprar este smartphone e 3 motivos para não comprar o aparelho da Xiaomi.

Foto: Ivo Meneghel Jr/Canaltech / Canaltech

[oferta_zoom]

4 motivos para comprar o Redmi Note 13

Na análise do smartphone da Xiaomi, eu destaquei a tela AMOLED, boa duração da bateria e conjunto equilibrado como pontos positivos. O aparelho tem desempenho sem engasgos, o que é muito bom para um smartphone na faixa dos R$ 1.000. Entenda melhor cada ponto a seguir.

1. Tela AMOLED

Tela do Redmi Note 13 é boa para usar em ambientes externos (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Tela do Redmi Note 13 é boa para usar em ambientes externos (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Foto: Canaltech

O Redmi Note 13 5G é um celular acessível, da faixa dos R$ 1.000, mas tem tela excelente e com bastante recursos. O painel AMOLED garante ótima visibilidade em ambientes muito claros, incluindo a rua em dias ensolarados. E, com o preto profundo desse tipo de display, o contraste também é muito bom.

Além disso, a tela tem bastante recursos que estão alinhados com os melhores displays da atualidade. A resolução Full HD+ garante boa nitidez, enquanto a taxa de atualização de até 120 Hz oferece fluidez em animações de apps e jogos compatíveis.

Enquanto ainda há fabricantes que insistem em painéis IPS LCD nos celulares mais baratos, o Redmi Note 13 tem display AMOLED fluido. É uma vantagem sobre alguns concorrentes que pode ser levada em conta ao fazer a sua escolha

2. Boa duração da bateria

Com duração estimada em quase 21,5 horas no teste padrão do Canaltech, o Redmi Note 13 5G oferece mais de um dia de uso tranquilo. É uma boa marca, apesar de não ser a melhor na faixa dos R$ 1.000. Ou seja, o celular consegue entregar boa autonomia de bateria, que pode até chegar perto de dois dias em uso mais básico.

O teste do Canaltech é bastante exigente, com 60% do tempo em uso. Isso é raro para um usuário comum, por isso consideramos que 18 horas já é o bastante para um dia inteiro longe da tomada. O Redmi Note 13 ainda conseguiu quase 3,5 horas além desta marca, por isso dá para dizer que ele chega perto de dois dias de autonomia em uso mais básico.

Apesar de o resultado ter ficado abaixo de alguns concorrentes, a diferença não é tão grande. O Galaxy A15 5G ficou com mais de 23 horas, por exemplo. Foi a mesma marca do Moto G54, enquanto o Moto G34 ficou abaixo, em 18 horas.

3. Desempenho sem engasgos

Rodar as tarefas mais comuns do dia a dia sem engasgos é importante para um celular barato valer a pena. E é o caso do Redmi Note 13, que consegue desempenhar os processos mais simples com ótima fluidez. Também dá para jogar no celular da Xiaomi, apesar de alguns jogos mais pesados exigirem uma redução na qualidade gráfica para rodar sem problemas.

Que fique claro, como eu apontei na análise: "não é um celular para jogar, mas se você não for exigente, consegue uma boa jogatina". Claro que você não vai se arriscar em um modo competitivo, até porque a proposta aqui é de uso básico. Mas o Redmi Note 13 5G consegue entregar desempenho suficiente para uma diversão.

Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Felipe Junqueira/Canaltech
Foto: Canaltech

4. Bom para tirar fotos

Eu escolhi o Redmi Note 13 como um dos celulares baratos para tirar selfies. E não foi à toa, já que o celular da Xiaomi consegue qualidade interessante para sua faixa de preço na câmera frontal. E não apenas nas selfies, o aparelho tira fotos boas para a categoria também na sua principal.

O Redmi Note 13 5G tem um bom conjunto de câmeras considerando a faixa de preço. Por cerca de R$ 1.000, ele deve se sobressair em relação aos concorrentes.

— Felipe Junqueira

A câmera de 108 MP na traseira é única, já que o sensor auxiliar funciona apenas para ajudar no modo retrato. E a qualidade é boa, com bom nível de texturas, ores vivas e uma faixa dinâmica aceitável para a categoria. Em resumo, não são câmeras apenas para registros ocasionais, você pode conseguir bons cliques para as redes sociais.

3 motivos para não comprar o Redmi Note 13

Como tudo na vida, há algumas desvantagens no celular da Xiaomi. O Canaltech destaca as principais abaixo. Se são, de fato, motivos para você descartar a compra do aparelho, vai da sua necessidade.

1. Recarga demorada

Redmi Note 13 5G é um dos melhores custo-benefício da Xiaomi atualmente (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Redmi Note 13 5G é um dos melhores custo-benefício da Xiaomi atualmente (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Foto: Canaltech

A Xiaomi manda um carregador de 33 W na caixa do Redmi Note 13 5G, mas isso não quer dizer que sua recarga seja rápida. Curiosamente, o aparelho precisou de quase uma hora e meia para ir de 13% a 100%. Há casos relatados de uma demora de 3 horas para fazer a carga completa, apesar de também haver registros de cerca de uma hora e quinze minutos para o mesmo processo.

Seja como for, parece haver um problema na recarga que leva a uma demora maior do que o esperado. E isso com uma bateria de 5.000 mAh, capacidade bastante comum nos celulares intermediários atuais. Concorrentes como o Galaxy A15 5G são bem mais rápidos com carregadores menos potentes.

2. Som mono decepcionante

Eu sei que exigir um sistema de som estéreo em um celular da faixa dos R$ 1.000 é um pouco demais. Mas há modelos na mesma faixa que entregam o áudio estéreo, como o Redmi Note 13 4G e, para citar um 5G, o Moto G34.

Além de ser mono, o som também tem uma qualidade bastante questionável — algo que poderia acontecer até mesmo com duas saídas de som. Como eu apontei no teste de som do smartphone:

Nos volumes médios, ou até cerca de 60%, o som é aceitável para acompanhar filmes e séries. Você deve perder um pouco da trilha sonora, com um destaque maior para as vozes.

— Felipe Junqueira

O alto-falante do Redmi Note 13 5G é bom para ouvir áudios de WhatsApp, podcasts e afins. Mas para música e conteúdo audiovisual no geral, ele deixa a desejar.

3. Alternativas mais interessantes

Eu citei vários celulares que podem ser mais interessantes do que o Redmi Note 13 5G ao longo desta matéria. E eles podem valer mais a pena porque, além de serem melhores em alguns aspectos (e não ficarem muito abaixo em outros), são modelos facilmente encontrados no varejo online brasileiro com selo Anatel. Ou seja, 12 meses de garantia da fabricante.

O celular da Xiaomi tem preço interessante, mas geralmente é com algum importador que traz o aparelho da China e revende pela internet. Diferente do Galaxy A15 5G, ou mesmo do A25, ambos da Samsung. Ou do Moto G34, G54 ou até mesmo do G84.

Todos esses smartphones podem custar de R$ 900 até R$ 1.400, e não devem em quase nada ao Redmi Note 13 5G. O Galaxy A25 e o Moto G84 fogem um pouco da faixa de preço, aproximando-se mais dos R$ 1.500. Mas são bem melhores do que todos os outros, incluindo o modelo da Xiaomi.

Já o Moto G34 e o G54 têm tela IPS LCD, então ficam em desvantagem neste sentido.O G34 também tem autonomia de bateria bem inferior. Já o Galaxy A15 5G é tão bom quanto o Note 13 em todos os aspectos, e tem preço menor, abaixo dos R$ 1.000. Além de ter maior garantia em atualizações, que vão até cinco anos.

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade