Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Djokovic diz não estar pensando em se contagiar com COVID

Sérvio está com pouca cautela mesmo com três casos positivos e desfalques

1 jul 2022 - 16h15
Compartilhar

Depois de três jogadores de contagiarem com a COVID-19 e abandonarem o torneio, Novak Djokovic disse não estar muito preocupado. Marin Cilic, Roberto Bautista e o atual vice-campeão, Matteo Berrettini, tiveram que desistir do evento.

AELTC
AELTC
Foto: Lance!

Ele chegou a treinar com Cilic dias antes do croata dar positivo. Em Wimbledon não há regra obrigando os jogadores a se testarem, apenas recomendação caso tenham sintomas: "Antes do início do torneio, visitei a cidade por alguns dias, mas agora só volto para casa do clube e estou com minha família e equipe, só que não estou muito preocupado com nada e não penso se vou vou pegá-lo, mas é claro, ser cauteloso é necessário depois do que passamos nos últimos dois anos", comentou o sérvio que comemorou sua vitória por 6/0 6/3 6/4 sobre o compatriota Miomir Kecmanovic.

Publicidade

"Ter um começo muito bom ajuda muito e isso aconteceu comigo nos últimos dois jogos. Conheço bem o Miomir, treinamos juntos inúmeras vezes e ficou claro para mim qual padrão de jogo eu tinha que seguir para poder vencê-lo. Estou muito satisfeito porque consegui manter um nível de jogo muito alto durante toda a partida".

Djokovic jogará no domingo contra o holandês Tim Van Rijthoven. Pela primeira vez o evento acabou com o tradicional Mid-Sunday e abriu oficialmente o dia para jogos: "Estou feliz que Wimbledon mudou essa regra e a partir de agora vamos jogar neste dia. É incrível como as regras estão mudando, apesar de ser um evento muito tradicional. É bom que eles estejam abertos a algumas inovações .

Nole comentou sobre seu próximo rival que conquistou título em Hertogenbosch, na Holanda, este ano, estando abaixo dos 200 do mundo: "Vi duas partidas dele aqui e também o acompanhei em Hertogenbosch. É impressionante o que ele está fazendo e fiquei muito surpreso com a forma como ele derrotou Medvedev na final, como ele administrou as emoções. Conheço bem seu treinador, Igor Sijsling. É sempre emocionante enfrentar um rival que você não enfrentou antes. Eu sei que ele tem um jogo ideal para esta superfície, com uma boa movimentação, um ótimo saque, ele pode segurar fundo ou ganhar a rede e a variação com o slice de backhand é fantástico. Ele chegará com muita confiança e não tem absolutamente nada a perder, acho que terá uma grande carreira".

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações