PUBLICIDADE

Sanções contra Putin: quanto o mundo depende de petróleo e gás da Rússia?

Rússia disse que poderia cortar o fornecimento de gás em caso de boicote às importações de petróleo russo.

9 mar 2022 - 09h32
(atualizado às 11h23)
Ver comentários
Publicidade
Homem abastecendo carro com gasolina em posto do Reino Unido, fevereiro de 2022
Homem abastecendo carro com gasolina em posto do Reino Unido, fevereiro de 2022
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Os Estados Unidos, o Reino Unido e a União Europeia anunciaram que vão restringir as importações de petróleo russo. A medida foi tomada depois que a Rússia alertou que poderia cortar o fornecimento de gás aos países europeus se o boicote às importações de petróleo do país fosse adiante.

Nesta reportagem, entenda os principais dados relacionados ao comércio de petróleo e gás da Rússia.

Que sanções existem sobre o petróleo e gás russos?

Os EUA anunciaram uma proibição completa das importações russas de petróleo, gás e carvão, depois que a Ucrânia fez um apelo para que as sanções fossem ampliadas.

O Reino Unido deve acabar gradualmente com as importações de petróleo russo até o fim deste ano, e a União Europeia está reduzindo suas importações em dois terços.

O governo britânico diz que a medida permite tempo suficiente para encontrar outros fornecedores.

O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, afirmou que rejeitar o petróleo russo levaria a "consequências catastróficas para o mercado global".

Os preços do petróleo e do gás já subiram drasticamente e podem aumentar ainda mais se a Rússia interromper as exportações.

Mas não se trata apenas de combustível - o custo de vida em diversos países será afetado, com os preços globais das commodities subindo ainda mais.

Quanto petróleo a Rússia exporta?

A Rússia é o terceiro maior produtor de petróleo do mundo, atrás apenas dos EUA e da Arábia Saudita.

Dos cerca de cinco milhões de barris de petróleo bruto que exporta por dia, mais da metade vai para a Europa.

As importações russas representam 8% da demanda total de petróleo do Reino Unido.

Os EUA são menos dependentes, com cerca de 3% de seu petróleo importado vindo da Rússia em 2020.

Gráfico mostra 10 maiores produtores de petróleo
Gráfico mostra 10 maiores produtores de petróleo
Foto: BBC News Brasil

E os fornecedores alternativos de petróleo?

O analista de pesquisa de política energética Ben McWilliams diz que deve ser mais fácil encontrar fornecedores alternativos de petróleo do que de gás, "já que não são tantos oleodutos". "Alguns vêm da Rússia, mas também há muitas remessas de outros lugares".

Os EUA têm pedido à Arábia Saudita que aumente sua produção, mas o país rejeitou pedidos anteriores do governo americano para aumentar a produção a fim de reduzir os preços do petróleo.

A Arábia Saudita é o maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), cartel que responde por cerca de 60% do petróleo bruto comercializado internacionalmente. Por isso, a Opep tem um papel fundamental na influência dos preços do petróleo.

A Rússia não está na Opep, mas trabalha com ela desde 2017 para impor limites à produção de petróleo, a fim de manter os ganhos dos produtores.

Os EUA também estão avaliando relaxar as sanções petrolíferas da Venezuela. O país sul-americano costumava ser um importante fornecedor dos EUA, mas recentemente tem vendido seu petróleo em grande parte para a China.

O que aconteceria se o gás russo parasse de fluir para a Europa Ocidental?

Os preços do aquecimento — que já estão altos — aumentariam ainda mais.

O gás russo representa cerca de 40% das importações de gás natural da União Europeia.

Se esta fonte secar, a Itália e a Alemanha ficariam especialmente vulneráveis.

Gráfico mostra países que mais importam gás da Rússia
Gráfico mostra países que mais importam gás da Rússia
Foto: BBC News Brasil

A Europa poderia recorrer a exportadores de gás existentes, como o Catar — ou a Argélia e a Nigéria, mas há obstáculos práticos para expandir rapidamente a produção.

A Rússia fornece apenas cerca de 5% do suprimento de gás do Reino Unido, e os EUA não importam gás russo.

No entanto, os preços no Reino Unido e nos EUA ainda estão em alta significativa devido ao efeito da escassez de oferta.

Gráfico mostra variação do preço do gás
Gráfico mostra variação do preço do gás
Foto: BBC News Brasil

Podem ser encontradas alternativas ao gás russo?

Não tão facilmente.

"É mais difícil substituir o gás porque temos estes dutos enormes que estão levando o gás russo para a Europa", explica Ben McWilliams.

O think tank Bruegel prevê que, se a Rússia interromper o fornecimento de gás para a Europa, a Europa poderia importar mais gás natural liquefeito (GNL) dos EUA.

O gás russo flui por meio de gasodutos pela Europa Oriental e Central
O gás russo flui por meio de gasodutos pela Europa Oriental e Central
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Também poderia aumentar o uso de outras fontes de energia, mas isso não é rápido ou fácil.

"As energias renováveis levam tempo para serem implementadas, então, no curto prazo, isso não é uma solução", diz o analista de pesquisa Simone Tagliapietra.

"Então, para o próximo inverno, o que pode fazer a diferença é a troca de combustível, como a abertura de usinas a carvão, como a Itália e a Alemanha planejam fazer em caso de emergência."

A União Europeia propôs um plano para tornar a Europa independente dos combustíveis fósseis russos até 2030 — incluindo medidas para diversificar o fornecimento de gás e substituir o gás no aquecimento e na geração de energia.

O que pode acontecer com as contas de energia e o preço do combustível?

Em diversos países, os consumidores vão enfrentar o aumento das contas de energia e combustível como resultado desta guerra.

No Reino Unido, por exemplo, as contas de energia domésticas foram mantidas sob controle até agora por um teto de preço de energia. Mas as contas vão aumentar em abril, quando o teto subir.

Os preços da gasolina e do diesel no Reino Unido também dispararam.

Nos EUA, o preço da gasolina atingiu o nível mais alto desde 2008, com a American Automobile Association dizendo que os preços nas bombas subiram 11% na semana passada.

"Acho que se estamos em um cenário em que o petróleo e o gás russos param de fluir para a Europa, precisaremos de medidas de racionamento", diz McWilliams.

"Parte da conversa agora é: podemos dizer às famílias para diminuir um grau em seus termostatos, o que pode economizar uma quantidade significativa de gás."

No Brasil, paira uma grande incerteza sobre o que vai acontecer com os preços da gasolina, diesel e do gás de cozinha no Brasil. Entenda aqui.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade