PUBLICIDADE

Homens, passou da hora de vocês começarem a cozinhar

Nada mais estranho do que um homem de avental cozinhando, e mais estranho ainda se preocupando com a nutrição da família.

22 ago 2023 - 10h03
(atualizado em 23/8/2023 às 09h00)
Compartilhar
Exibir comentários
Um homem cozinha, enquanto o outro auxilia a criança
Um homem cozinha, enquanto o outro auxilia a criança
Foto: CanvaPro

''O que tem para comer?'' Nós homens deveríamos nos sentir envergonhados de fazer essa pergunta para as mulheres que dividem uma casa com a gente. Seja elas nossas mães, esposas, namoradas, avós, ou amigas. A responsabilidade de saber o que tem para comer e tomar iniciativas deve ser igual para todas as pessoas.

Não se enganem com a quantidade de Chef's de cozinha homens que são exaltados mundo afora, principalmente em seriados de televisão, pois isso não representa a realidade da população mundial que está apoiada no ombro de uma mulher sobrecarregada e cansada.

Passou da hora de nos envergonhamos de não saber comprar uma laranja ou uma cebola, de não saber cozinhar feijão ou fazer um arroz. Precisamos entender que não é bonito ou normal mulheres se desdobrarem na cozinha enquanto ficamos completamente a par do que acontece naquele ambiente.

Se somos homens adultos, e não sabemos cozinhar absolutamente nada, tem um grande problema nessa situação que precisamos olhar com atenção. Apesar da estrutura favorecer homens, e parecer extremamente natural mulheres cozinharem e se preocuparem com as funções de uma casa, em pleno 2023 é uma vergonha e não é aceitável continuarmos inúteis e disfuncionais.

O desconforto, a angústia e a incerteza ao entrar em uma cozinha e pegar uma panela fazem parte de uma mudança que já passou da hora. É necessário começar por qualquer lugar, se esforçar, e sim, se sentir mal quando tiver uma mulher fazendo e nós sem saber o que fazer. 

''Mas nós homens trabalhamos fora, não temos tempo'', mulheres também precisam trabalhar fora, ter suas carreiras, ser úteis para além de uma cozinha, então isso não é desculpa para continuar disfuncional. Não sabe por onde começar? Pergunte, pesquise, vá atrás, se mostre interessado, porque ser inútil atualmente não é mais legal. 

O que pode acontecer com a maioria dos caras é um sentimento de estar fazendo algo que não é função deles, mas isso é um falso sentimento que foi e é até hoje reforçado pela cultura em que vivemos, que prega que ''lugar de mulher é na cozinha''.

Em muitos casos cuidar de uma casa é muito mais cansativo e exaustivo do que trabalhar fora, e em 95% das vezes é um trabalho não remunerado feito por mulheres.

Se preocupar em fazer um alimento, cuidar da casa, lavar louça e roupas e tomar iniciativas não é menos nobre do que trabalhar e colocar dinheiro dentro de casa, uma atividade não anula e muito menos compensa a outra.

Preparar um alimento é uma das obrigações mais importantes para os seres humanos, é a atividade que mais realizamos ao longo da vida, necessitamos de alimentos para nutrir o nosso corpo e nos manter saudáveis. Além disso, em muitos momentos da vida vamos precisar cozinhar para nossos filhos pequenos, ou parentes idosos. Cozinhar, é admirável, uma forma de demonstrar cuidado, além de extremamente necessário e fundamental para a nossa existência.

Se liga: 

Inútil não é uma ofensa ou um xingamento, é uma expressão forte para mostrar que essa masculinidade está ultrapassada e que não vivemos mais no século XX. Inútil significa imprestável, incapaz de fazer alguma coisa, desprovido de serventia; que não serve para nada. E tenho certeza que ninguém gosta de se sentir assim.

Homens não terem vontade, motivação e capacidade de aprender a cozinhar é um dos motivos de não conseguirem aderir ao veganismo. Não é apenas isso, mas isso influencia muito.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade