PUBLICIDADE

Frutas são caras? Veja algumas dicas na hora de comprar

Comer fruta é muito saudável, e todo mundo sabe disso, o problema, muitas vezes, é o preço desse alimento.

2 fev 2023 - 13h04
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: CanvaPro

O consumo de fruta não deve ser visto como um consumo de gente rica, é preciso compreender o preço da fruta estruturalmente, e entender que consumir fruta é importante para a saúde e a população periférica tem todo o direito de ter acesso e consumir variados alimentos in natura. 

É comum ver exemplos em filmes, clipes, séries e novelas, onde os ricos estão sempre cercados de frutas, suco de laranja no café da manhã, e o pobre apenas com pão e café.

Crescer numa família periférica, sem condições financeiras e longe de áreas rurais, é crescer sem muito acesso a frutas e com esses estigmas impregnados de que fruta não é para nós.

A partir do momento que mudamos nossa alimentação e descobrimos a importância de se alimentar com comida de verdade, com vegetais, passamos a consumir uma boa quantidade de fruta.

Geralmente, as frutas tendem a ser caras, e existem diversos fatores que influenciam no preço final. Os preços são altamente inflacionados, até mesmo frutas comuns como banana, melancia, maçã e mamão atualmente estão com valores elevados.

O alto custo para a produção de fruta é um dos principais motivos para o preço alto na ponta. Isso ocorre porque a produção de fruta exige muito cuidado e atenção. Em relação à produção, por exemplo, a grande dependência do uso de fertilizantes impacta diretamente no preço final.

A situação piora quando o fertilizante utilizado é importado, pois quando o país exportador está com algum problema, como em conflito com outro país, como no caso da Rússia, a tendência é aumentar o custo de produção. Por conta desse conflito, só nos últimos 12 meses, as frutas tiveram um aumento assustador, como o mamão que teve um aumento em mais de 99%.

Além disso, outro fator, é a alta demanda por frutas, principalmente no verão (períodos quentes), pois a fruta é um alimento refrescante. O clima para a produção é super importante, e sem dúvida interfere no rendimento, e consequentemente influencia no preço. Outro ponto relacionado com o preço das frutas é o preço do diesel: a maioria das frutas precisa ser deslocadas por muitos quilômetros até chegar às feiras, supermercados, mercadinhos e varejão.

Com preços altos em quase toda região do Brasil, como consumir mais frutas é a grande questão. Algumas dicas que podemos dar é: consumir sempre a fruta da época, tem algumas tabelas que mostram as frutas de cada estação e servem como um guia, aí fica mais fácil encontrar frutas com preços menores.

Um clássico exemplo é a mexerica, ponkan, bergamota. Essa fruta incrível é muito comum no outono, presente em abundância entre abril e agosto, concentrando no mês de maio (períodos em que o preço dessa fruta despenca).

Nas regiões mais frias, a sua produção e consumo se estende até meados de setembro. O abacate é muito comum entre novembro e maio, período no qual o preço cai pela metade.

Agora, banana, abacaxi, maçã, melancia, que é comum o ano inteiro, a dica é ir aos mercadinhos e supermercados quando tem promoção de hortifruti ou no famoso dia da feira, todos os mercados fazem essa promoção. 

Dica de ouro: não comprar no primeiro estabelecimento que você entrar (a não ser que esteja sem tempo nenhum), porque os preços variam bastante de um lugar para outro, cabe a gente pesquisar onde fica mais em conta.

Esses dias eu estava andando de bicicleta na região onde eu moro e vi em um mercado assim, banana R$ 3,99, aí eu andei mais um pouco e perto da minha casa tava R$ 6,99 a mesma banana.

Geralmente quando as frutas estão um pouco mais passadas, é só levar para a casa e congelar, dá para fazer vitamina, bater com açaí, fazer sorvete, entre outras coisas. Optar por frutas mais maduras geralmente sai mais barato.

Se não tiver condições de comprar variedade de frutas, compra sempre o que está a seu alcance, é melhor ter sempre do mesmo, do que não consumir.

O ideal seria toda a população, independente da classe, gênero ou cor, ter acesso irrestrito a frutas de boa qualidade e com preços acessíveis, mas como esse cenário não é real, cabe a nós fazermos escolhas mais conscientes.

Pega a visão: 

A realidade socioeconômica do país impede que milhares de pessoas possam ter autonomia e consumir alimentos in natura, muitas famílias não têm renda mínima nem mesmo para comprar um pacote de arroz e feijão, quem dirá frutas.

É sempre importante ressaltar que mesmo com o preço acessível de algumas frutas que estão na época, mesmo podendo ir em diversos estabelecimentos para fazer pesquisa de preço, muitas pessoas não terão poder de compra para consumir frutas.

O sistema político e econômico é completamente ineficaz em reduzir desigualdades e possibilitar que populações em situação de pobreza tenham algum ganho melhor e consequentemente possam comprar frutas e alimentos mais nutritivos, até mesmo o básico do básico. 

Se não tivermos uma mudança estrutural, mesmo que gradual, e políticas públicas, dificilmente poderemos falar de consumo individual e dicas para toda a população brasileira.

As dicas de como comprar fruta são destinadas a pessoas com sua sobrevivência minimamente garantida, com a opção de comprar frutas. Sem contar que além da falta de grana, existem populações vivendo em áreas consideradas desertos alimentares, regiões com difícil acesso à comida de verdade.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade