PUBLICIDADE

Visite Paris em cinco dias e saia encantado da cidade

Confira roteiro que percorre os principais pontos turísticos da capital francesa

5 dez 2014 - 11h12
(atualizado às 11h12)
Compartilhar
Exibir comentários

Com tanta cultura, prédios históricos, gastronomia de primeira qualidade e cenários românticos, pode ser difícil definir um roteiro por Paris, capital da França. Viagem dos sonhos para muitos, o Terra mostra como passaria cinco dias na cidade-luz. Pode copiar à vontade.

Dia 1: Tour para o Instagram

Torre Eiffel, Arco do Triunfo e Champs Élysées no primeiro dia, para avisar o mundo de que você está em Paris
Torre Eiffel, Arco do Triunfo e Champs Élysées no primeiro dia, para avisar o mundo de que você está em Paris
Foto: Shutterstock

Que tal reservar o primeiro dia para encher o Instagram com aquelas fotos nos lugares mais famosos de Paris? Para começar, Torre Eiffel, claro. A partir das 9h30min, é possível subir a torre, e a dica é reservar os bilhetes pelo site e usar as escadas para o segundo andar - assim se evita filas no elevador e se paga cinco euros, em vez de nove. Para o topo da torre, não tem jeito, elevador e 15 euros.

Como o percurso é de cima para baixo, o almoço pode acontecer no restaurante situado no primeiro andar, com uma bela vista de Paris. Caso não queira, existem restaurantes, lanchonetes e bares ao redor do Champ de Mars. Livre escolha.

A tarde é a hora perfeita para ir a outro ícone da história parisiense, o Arco do Triunfo, monumento encomendado por Napoleão Bonaparte em homenagem às vitórias da Primeira República Francesa. Na superfície, estão gravadas as 128 batalhas e os nomes dos generais responsáveis por elas. O melhor é que ele nem está muito longe: na praça Charles de Gaulle, a algumas quadras da Torre Eiffel.

Uma das avenidas que cruzam o Arco é a Champs-Élysées. Se estiver disposto a caminhar, a rua abriga um dos aluguéis mais caros do mundo e é ainda mais decorada e iluminada no final do ano. Lojas como Louis Vuitton, Hugo Boss, Adidas e Gap aparecem por aqui. Se o seu obejtivo de viagem é compras, agora é a hora.

Mas a paisagem da Champs-Élysées inclui a Praça de La Concorde - que aliás está à direita da Igreja de Madeleine, se quiser esticar o passeio -, o Jardim das Tulheries e, por fim, a pirâmide do Museu Louvre, em contraste à sede da corte francesa, o antigo Palais do Louvre. Empolgado com o museu? Calma, melhor guardar outro dia para ele, esse já está no fim.

Dia 2: Uma bela dose de cultura no Louvre

Mesmo com um dia inteiro dedicado ao Museu do Louvre, é impossível ver todas as obras, o jeito é escolher prioridades
Mesmo com um dia inteiro dedicado ao Museu do Louvre, é impossível ver todas as obras, o jeito é escolher prioridades
Foto: Shutterstock

Certamente você não conseguirá olhar todo museu em um dia, mas pode selecionar obras e artistas preferidos para admirar - o pessoal do lugar distribui gratuitamente um guia no hall de entrada. O Louvre abre todos os dias, com exceção das terças-feiras. O horário normal é das 9h às 18h, mas a dica é ir quarta ou sexta, quando o museu só fecha às 21h45. Se estiver viajando na primeira semana do mês e quiser economizar os 12 euros da entrada, vá no domingo, é de graça.

Depois de se espremer entre outros turistas para ver a Mona Lisa e caminhar horas no museu, uma alternativa é visitar um dos tradicionais cabarés de Paris. Subindo a Champs-Élysées está o Lido de Paris, aberto em 1946, logo depois da Segunda Guerra Mundial. Celebridades de todo o mundo estiveram por lá. Elton John, por exemplo, tocou no teatro em 2003. Outro cabaré famoso de Paris é o Crazy Horse, próximo ao Lido. Para esse show, deixe as crianças em casa - ele promete ser mais sensual.

Dia 3: Um misterioso passeio nas Catacumbas de Paris

Para fugir do óbvio, as Catacumbas de Paris prometem 45 minutos de tensão no terceiro dia
Para fugir do óbvio, as Catacumbas de Paris prometem 45 minutos de tensão no terceiro dia
Foto: Shutterstock

Se você quer fugir dos passeios comuns na cidade-luz, uma opção para o terceiro dia é ir às Catacumbas de Paris. O lugar abre às 10h todos os dias, com exceção de segunda-feira. Ao descer 130 degraus, os corajosos começam uma caminhada de dois quilômetros (45 minutos) entre galerias de pedras usadas na construção da capital francesa. Nada demais? É que as paredes abrigam ossos de cerca de 6 milhões de parisienses que não ganharam espaço nos cemitérios.

Para aliviar a tensão depois do passeio, o Jardim de Luxemburgo é um ambiente agradável frequentado pelos parisienses para fazer piqueniques. Maior parque público de Paris, ele está a dez minutos a pé das Catacumbas. De lá, já se pode admirar o Panteão, monumento praticamente vizinho ao parque.

Outro ponto turístico a poucos minutos dali é o cemitério de Montparnasse, onde estão os túmulos de Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir e Charles Baudelaire. Para os amantes da literatura que quiserem ir além, existe o cemitério de Père Lachaise, um pouco mais longe. É lá que se prestam homenagens a Marcel Proust, Oscar Wilde, Honoré de Balzac, além de Jim Morrison, vocalista da banda The Doors.

Dia 4: História em Sacré Coeur

O fluxo de turistas na Basílica de Sacré Croeu faz com que o montanhoso bairro de Montmartre se encha de cores e artistas franceses
O fluxo de turistas na Basílica de Sacré Croeu faz com que o montanhoso bairro de Montmartre se encha de cores e artistas franceses
Foto: Shutterstock

Ao sair do metrô em Montmartre, norte de Paris, se enxerga um dos famosos pontos turísticos de Paris, a Basílica de Sacré Coeur. Aberta as 6h, o lugar abriga estátuas, mosaicos, figuras religiosas e recebe missas. Além disso, tem horários para confissão dos fiéis e lojas de artigos cristãos. As lembranças, aliás, não podem ser encomendadas pelo correio - é preciso ir à Basílica para guardar um objeto de recordação.

O passeio vale inclusive para quem não é religioso, pela riqueza arquitetônica e a vista espetacular da cúpula. É possível ir no topo da basílica a partir das 9h, o desafio são os 300 degraus. O comércio e cultura ao redor de Sacré Coeur também chamam atenção. Pelas calçadas, estão pintores vestidos a rigor e oferecendo caricaturas dos visitantes. Ao fundo, certamente você ouvirá locais assoviando músicas francesas.

Para fechar o dia, boas pedidas são caminhar pelo bairro de La Chapelle e conhecer os pecados da vida noturna na Boulevard de Clichy, ambos programas próximos ao montanhoso bairro de Montmartre.

Dia 5: Catedral de Notre Dame

Para aliviar o bolso no quinto dia, admirar a Catedral de Notre Dame e as pontes do Rio do Sena são boas escolhas no caminho para o aeroporto
Para aliviar o bolso no quinto dia, admirar a Catedral de Notre Dame e as pontes do Rio do Sena são boas escolhas no caminho para o aeroporto
Foto: Shutterstock

Para se despedir de Paris, um ponto turístico que vale a visita é a Catedral de Notre Dame, uma das mais antigas da França. O melhor é que não se paga nada para admirar de perto o prédio em estilo gótico, construído em 1163 - fique tranquilo se já está andando a pé para economizar a passagem. A única taxa é para quem deseja subir a Catedral.

E no caminho para o aeroporto, procure observar as pontes do Rio Sena. Pode ser sua última chance de ver os milhares de cadeados coloridos junto a elas, simbolizando a união dos casais que por lá os deixaram. O governo de Paris já acenou que irá retirar gradualmente os objetos das pontes, por comprometerem a segurança a partir do peso não calculado.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade