PUBLICIDADE

Tomatina é uma das mais engraçadas festas de rua da Espanha

Compartilhar

Buñol, na região espanhola de Valência, é sede de uma das festas mais engraçadas, diferentes (e controversas) das muitas que a Espanha produz: a Tomatina. Ocorre sempre na última quarta feira de agosto de cada ano. Este ano, será no dia 26 de agosto e se espera um público tão grande como o foi no ano passado: mais de 40 mil pessoas. Ou seja: essa gente toda dando ou recebendo tomatada na rua. Um dia antes, desde as 18 horas, há concursos e dj's para incendiar a todos até o início da Tomatina. Já pela manhã, os organizadores repartirão mais de 100 toneladas de tomates, dispostas em seis caminhões, que se movimentarão entre a Praça São Luis e a Praça do Povo.

» Veja fotos

Buñol, na Espanha, recebe turistas que querem experimentar a sensação de virar massa com molho de tomate
Buñol, na Espanha, recebe turistas que querem experimentar a sensação de virar massa com molho de tomate
Foto: Vicente Perez / Divulgação

» vc repórter: mande fotos e notícias

» Chat: tecle sobre o assunto

Uma das regras é não rasgar nem arremessar roupas, ou utilizar botas e objetos muito duros que possam machucar alguém. Sugere-se ainda esmagar o tomate antes de arremessá-lo. O local de todas as atividades da Tomatina de 2009 será na Tomatina Village, próxima à estação de trem de Buñol. O trem é uma opção de Valencia a Buñol: são 45 minutos de viagem.

Depois da festa, vale uma visita na cidade, onde há El Castillo, uma fortaleza em ruínas da época do século XVI. Aproveite também para apreciar uma culinária influenciada pelo mar e pelo interior na cidade. Da influência costeira vem o arroz adjunto a verduras e carnes. Do interior a sugestão é o que vem da caça, uma comida mais pesada, como tortas e carnes de galinha e outros animais.

Chiva, ao lado de Buñol e também interessante, pelos monumentos em ruínas das épocas ibérica e romana. Muitos bairros são de estilo árabe, com muros sinuosos. As praias da Costa Blanca que, além de Alicante, estendem-se pelas areias finas a Dénia, Altea, Calpe, Xàbia o Torrevieja. E o que dizer de perfeita união entre mar e montanha da Castellón Costa Azahar, com as praias Malvarrosa, Voramar, Heliópolis e Cala del Retor? E mais adentro, vale vasculhar bem cada cantinho para se deparar com vilarejos e pequenas cidades reveladoras de muita história, gastronomia e animadas festas de calendário.

Se quiser conhecer um pouco além, a região da comunidade valenciana evoca feições geográfica características: nas suas 13 subdivisões se ergueram pequenas cidades históricas (pesqueiras ou não), vilas charmosas e o calor típico. Ao mesmo tempo, são orientadas por esta que é uma grande cidade cosmopolita, polo de artes e de tecnologia: Valência. Tomando-a como ponto de partida (ou de chegada), o negócio é sair por toda a região para descobrir seus atrativos, suas construções históricas, festas, comidas do local e agito noturno.

Grandes eventos internacionais podem ajudar a pautar a agenda. Alicante é ponto de partida de importantes regatas como a Volvo Ocean Race, que termina nove meses depois, em São Petersburgo, prévia passagem por águas brasucas. Há ainda a 32ª America's Cup, competência náutica e tradicionalíssima, que ocorre desde 1851 e que, com direito, chama-se de A F1 da vela. No golfe, o destaque é o Castellón Masters Costa Azahar (dias 22 a 24 de outubro, alcança 690 milhões de espectadores pelo mundo). O automobilismo também não fica pra trás, e quem confere pompa à região é o traçado urbano de Valencia Street Circuit (acontece em agosto, e que rende 70 milhões de euros para a comunidade valenciana num final de semana).

Por toda a região, a geografia, aliada ao clima, convida ao passeio, a dar um pulo de cidade em cidade. Se passamos pela cidade de Albaida, que é uma vila muito pequena, notamos o Palácio de Milà e Aragó, umas das primeiras construções muçulmanas do século XIII, e o espetacular edifício religioso de estilo gótico, construído por volta do século XVI e restaurado em 1830. Em Alzira nos remetemos à pré-história: a ela pertencem os restos encontrados dos períodos do neolítico e da idade do bronze.

Por onde for, encontra-se hotéis, pousadas, campings, restaurantes e bares. Festas e eventos também são constantes. Valores? Variam, mas se trata de uma região de preços mais acessíveis, sobretudo para estadias. Protetor solar é recomendável, e sucos e bebidas geladas são acompanhantes de todo o passeio. Algumas literaturas e informações prévias podem fazer cada visitação mais intensa e dotada de sentido. Afinal, é uma região que guardou traços históricos marcantes vindos do norte da Europa e da África. De resto é levar no bolso aquele savoir vivre - ou, melhor, el bien vivir la vida - para curtir a hospitalidade e agitação das terras da região valenciana.

Agência Andrés Bruzzone Comunicação

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra