Intercâmbio — O Reencontro

11 fev 2019
09h00
  • separator
  • comentários

A história de hoje é com a Nina – psicóloga infanto-juvenil, mãe da Bárbara (8 anos) e da Bruna (4 anos) que é também filha, irmã, tia, madrinha, prima e nas horas vagas blogueira! Uma autêntica “mãelabarista”, que assim como muitas de nós equilibra vários “pratinhos da vida” ao mesmo tempo. É uma das autoras do blog maelabaristas que aborda o tema da maternidade de uma forma simples, sincera e bem-humorada, sem levantar bandeiras nem ensinar nada pra ninguém.

Intercâmbio — O Reencontro
Intercâmbio — O Reencontro
Foto: Nina Mãelabaristas

Quando nos conhecemos a Nina, que hoje tem 35 anos, se preparava para uma viagem aos Estados Unidos para visitar a família com quem morou durante um intercâmbio cultural aos 17 anos… ia finalmente levar o marido e as duas filhas para conhecer sua segunda família!

E foi uma viagem inesquecível…confere aí!

O que o intercâmbio representou na sua vida?
Fiz um intercâmbio aos 17 anos e essa viagem foi um divisor de águas na minha vida! Fazer intercâmbio já era uma tradição na minha família. Todos os meus primos mais velhos já haviam feito. E eu sempre fui muito família e se não fossem eles a me dar esse empurrão, talvez jamais teria tido essa iniciativa.

E sua família americana, como é o relacionamento com eles?
Minha família americana é de North Dakota, lugar que eu nunca tinha nem escutado falar até saber que era pra lá que eu ia! Dos meus amigos que fizeram intercâmbio na mesma época, faço parte da minoria que mantém contato até hoje. Morei com eles por 1 ano e 1 mês e acho que eu cai em uma família especial, mas meus amigos atribuem esse vínculo à minha personalidade, eles dizem que eu faria vínculo da mesma forma em qualquer outra família…rsrsrsrs

Depois que voltei ao Brasil, sempre nos correspondemos e com as redes sociais esse contato ficou mais fácil. Minha família americana já veio me visitar por duas vezes e, neste final de ano, resolvi que era minha vez de ir e encontrá-los pela terceira vez, agora levando meu marido e minhas filhas! A viagem foi cheia de emoções e antes de subir para North Dakota fizemos uma divertida passagem por LA. Foi inesquecível!!!

Como as suas meninas entendem as suas “2 famílias”?
Em 2015 fomos a Punta Cana para o casamento da minha “host sister”. As meninas eram bem novinhas (5 anos e 1 ano). Sempre mostrei fotos e contei minhas histórias. Elas adoram saber do meu passado e da minha infância! Mas esse ano conseguiram entender melhor essa relação, principalmente a Bárbara, que já está maiorzinha e cheia de sonhos de poder viver essa experiência um dia! Preciso começar a trabalhar minha cabeça pra isso! Kkkkkkkkk (nem me diga!….kkkkk).

Qual foi o roteiro desta viagem em especial?
Passamos o Natal com a família americana e ficamos uns dias para curtir com eles e os amigos de lá! Antes disso, no entanto, fomos passear pela Califórnia, num roteiro montando com a ajuda da internet e dicas de amigos.

Como foi a sensação do seu Natal americano? Que lembranças te trouxe?
Não poderia ter sido melhor! Minhas melhores amigas na época de intercâmbio eram uma estudante do Japão (Yoko), que ano passado se casou com um americano e mora nos EUA (em Washington) e uma americana que ainda mora em North Dakota (Ashley). A Yoko marcou de visitar a família dela na mesma data para podermos nos encontrar, passamos um dia juntas revivendo nossas histórias, foi demais!

E como foi para as crianças esta experiência?
Ashley tem uma filha de 9 anos que começou a se comunicar com a minha filha pela internet antes de irmos e quando se encontraram a língua não foi barreira para que se tornassem amigas, muito legal de ver. Elas amaram ficar em uma típica casa americana durante alguns dias e até minha pequena já estava se virando nos 30 pra se comunicar. Minha irmã americana tem um filhinho de 1 ano, que ficou encantado com as “primas”!

Já estamos sonhando com o próximo encontro, que se Deus quiser será aqui no Brasil!  O marido da minha irmã gringa nasceu em Recife e foi adotado ainda bebê e levado para os EUA, não fala nada de português e nunca voltou pra cá! Eles estão esperando o segundo filho, que está previsto pra fevereiro, então provavelmente em 2020 nos encontraremos no Nordeste!

Caramba, Nina!!! Que gostosa a sua história…demais levar suas filhas para conhecer mais de perto essa parte da sua vida. Confesso que revivi um pouco da minha história e saí louca nas redes sociais atrás da família que me acolheu com tanto carinho nos idos 1996, quando fui passar um período de 6 meses de intercâmbio nos Estados Unidos

Para conhecer um pouco mais sobre a Nina, visite o blog maelabaristas.com.br 

Veja também:

 

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade